segunda-feira, 22 de maio de 2017

Criminosos arrombam e saqueiam lojas no Centro do Rio.

Pelo menos 10 lojas localizadas na Rua Senador Pompeu, na região da 
Central do Brasil, foram atacadas na madrugada desta segunda-feira.


O DIA

Rio - Bandidos armados com fuzis arrombaram e saquearam, pelo menos, oito lojas, por volta das 02:00hs. desta segunda-feira, na Rua Senador Pompeu, na Central do Brasil. Eles fecharam a rua com um caminhão e levaram até geladeira, ar-condicionado e computadores. Testemunhas dizem que o bando era formado por mais de 50 criminosos. Policiais foram ao local e houve intensa troca de tiros. Comerciantes dizem que essa é a terceira vez que as lojas são assaltadas esse ano e reclamam da falta de policiamento. Na região, estão a Secretaria de Segurança Pública, a 4ª DP (Presidente Vargas), o Comando Militar do Leste (CML) e ainda a Unidade de Polícia Pacificadora da Providência (UPP). Agora, pela manhã, um homem com um radiotransmissor passou pelo local ordenando que o comércio fosse fechado.



Há informações de que a ordem para os assaltos foi dada por Evanilson Marques da Silva, o Dão da Providência, chefe do tráfico da favela, porque os comerciantes deixaram de pagar a propina para o tráfico. O valor seria R$ 2.000,00 por semana. O bandido é foragido e o Disque-Denúncia (2253-1177) oferece R$ 5.000,00 de recompensa a quem der informações que levem ao criminoso. A polícia diz que foram oito lojas arrombadas, mas comerciantes garantem que foram 13. A PM foi acionada após o alarme de uma loja de doces tocar, às 02:00hs. Comerciantes dizem que a PM só chegou às 05:30hs. Dona da loja onde o alarme tocou já foi assaltada três vezes esse ano. "Meu marido saiu da Barra às 02:30hs., chegou aqui (na Central) e ainda conseguiu ver os bandidos assaltando as lojas. Aqui, da minha loja levaram várias mercadorias, além de ar-condicionado, geladeira e todos os computadores que armazenavam imagens de seguranças. A primeira vez que fui assaltada foi no Carnaval. Usaram um ônibus para fechar a rua. A segunda, foi há apenas duas semanas. E nas barbas da PM. Eles não fazem nada", denunciou um comerciante.


Traficante Dão, chefe do tráfico no Morro da Providencia, 
ordenou ataques. Recompensa por ele é de R$ 5.000,00.

"Se levaram, levaram pouco dinheiro. Nesta loja é a primeira vez que fazem isso, mas destruíram nossa loja. No meu colega vizinho é a terceira vez que fazem isso. Aqui, nessa rua, nas barbas da polícia tem duas bocas de fumo. Na rua de trás, do lado da polícia, traficantes andam armados dia e noite, e a polícia não faz nada", contou um estoquista de uma loja de bebida. "Minha loja foi assaltada pela segunda vez. A sensação é de que os bandidos mandam e a PM acata. Empregamos aqui nessa rua mais de mil funcionários. Isso é um absurdo", reclamou um dono de duas lojas.

Um comerciante contou que na semana passada houve reunião com o comando do batalhão da área para falar sobre a segurança na região. "Disseram que o Dão deu ordem para atirar para matar se a PM passasse pela Rua Barão de São Félix", denunciou o homem.

Reportagem do estagiário Rafael Nascimento
http://odia.ig.com.br