segunda-feira, 3 de abril de 2017

Executivo da DIS afirma que craque Neymar pode ser preso

Roberto Moreira está processando o atacante e sua família.


Neymar pode ficar até cinco anos afastado do futebol.
O DIA

São Paulo - A excelente fase de Neymar parece se resumir apenas aos gramados de futebol. Fora deles, o craque brasileiro corre o risco de ser preso, segundo revela Roberto Miranda, executivo da DIS, empresa que detinha os direitos de imagem do jogador e agora processa o atleta e sua família. No domingo, o empresário falou sobre o caso e afirmou que a DIS não pede, especificamente, pela prisão do camisa 10 da Seleção, mas que esse pode ser um desfecho para o caso. "A DIS não está pedindo especificamente a cadeia. Nós pedimos uma condenação juntamente com a federação das associações de atletas profissionais e o Ministério Público de lá. Pedimos para que seja cumprida a lei. Ele pode ser sim [preso]", disse Moreira, em entrevista à Rádio Bandeirantes. Um dos pontos abordados por Roberto Moreira foi o fato de Neymar ter jogado contra o Barça, pelo Mundial de Clubes de 2011, já vendido ao clube catalão, apelando ao sentimento dos torcedores brasileiros. "O que é mais esquisito de tudo isso é que todo torcedor fanático por futebol pergunta se é moral, ético a atitude do Neymar. Naquela decisão de 2011, Santos e Barcelona, em que se levou uma goleada, ele já já tinha recebido 10.000.000,00 de euros. Você, torcedor do Santos, de qualquer time, achou isso legal? Tenho a certeza que a resposta vai ser não."

Relembre o caso
Toda a polêmica diz respeito à transferência de Neymar para o Barcelona. No fim de 2011, o atacante deixou o Santos por um valor de 17.100.000,00 de euros. A DIS, que detinha seus direitos de imagem, recebeu 40% deste valor. No entanto, a Justiça espanhola afirmou que os valores da venda foram mascarados. Segundo a análise do judiciário do país europeu, o valor total foi de 86.000.000,00 de euros. A saída encontrada pela família de Neymar e pelo clube foi o pagamento direto de 40.000.000,00 de euros à empresa N&N, comandada pelo pai do atleta.

Entendendo que esse valor diria respeito à transferência, a DIS tenta receber sua porcentagem da parcela não declarada. Se dizendo traídos, os dirigentes da empresa acusam Neymar e seus familiares de fraude.

http://odia.ig.com.br