terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Fotos mostram homens armados em frente a quartel da Marinha, na Penha


Grupo de onze bandidos é flagrado perto de centro da Marinha.
Carolina Heringer 
e Marcos Nunes

O desfile de bandidos armados na frente da Centro de Instrução Almirante Alexandrino (CIAA), da Marinha, na Penha, Zona Norte do Rio, é resultado do uso da Favela Kelson’s como uma das bases da maior facção criminosa do Rio para tentar retomar a Cidade Alta, em Cordovil. Segundo informações da Polícia Civil, os criminosos saem da Kelson’s, do Complexo do Alemão e da Favela Cinco Bocas, concentram-se na comunidade Pica-Pau, também em Cordovil, e promovem ataques na Cidade Alta. Alguns criminosos que estão na Kelson’s teriam se refugiado na comunidade após a invasão da Cidade Alta pela facção rival, em 15 de novembro do ano passado. Fotos que circulam em redes sociais e foram divulgadas ontem pela Veja Online mostram bandidos fortemente armados na porta do centro. Ambas foram tiradas em plena luz do dia. Numa delas, o bandido passa num dos muros do local. Na outra, onze criminosos foram flagrados em esquina em frente ao centro.

O último confronto na Cidade Alta foi no último sábado, quando houve uma tentativa de retomada pela maior facção criminosa do Rio. Três pessoas foram mortas. Procurada pelo EXTRA, a Marinha ainda não se posicionou sobre as fotos que circulam nas redes sociais. A 38ª DP (Irajá) pediu a prisão temporária de Álvaro Malaquias Santa Rosa, o Peixão, que seria o líder da invasão de novembro. Ele já tem prisão preventiva decretada por tráfico de drogas.

http://extra.globo.com/