terça-feira, 19 de julho de 2016

É falsa a informação de que brasileiro planejou ataque no Rio, diz governo

Deputado francês disse que membro do EI planejou atentado na Olimpíada. Autoridades da França não chegaram a notificar governo brasileiro.


Filipe Matoso
Do G1, em Brasília

A Secretaria de Imprensa informou que o presidente da República em exercício, Michel Temer, foi informado nesta terça-feira (19) pelo governo francês que é falsa a informação de que um brasileiro, supostamente ligado ao grupo terrorista Estado Islâmico, estaria planejando um ataque durante a realização da Olimpíada, no Rio de Janeiro. Na semana passada, um deputado francês declarou, em audiência de inquérito parlamentar sobre os ataques terroristas de 2015 no país europeu, que um brasileiro ligado ao Estado Islâmico planejava atacar a delegação francesa nos Jogos Olímpicos. Na ocasião, a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) informaram não ter sido notificados por autoridades francesas. Segundo a Secretaria de Imprensa da Presidência informou nesta terça, a informação desmentindo o planejamento do ataque foi levada a Temer pelo ministro do GSI, Sérgio Etchegoyen, após ele ser comunicado pela Embaixada da França no Brasil.

Em nota, o Palácio do Planalto informou que, em um documento enviado ao Ministério da Defesa sobre o caso, o serviço de inteligência francês explicou que a informação do deputado foi analisada por agências francesas e de outros países, inclusive do Brasil. "A análise das pesquisas realizadas levou à conclusão de que a informação é falsa, razão pela qual o Diretor de Inteligência Militar da França não a transmitiu para o Ministério da Defesa brasileiro naquela ocasião", diz a nota da assessoria.

'Revisão' das medidas de segurança
Na semana passada, após atentando em Nice, na França, provocar mais de 80 mortes, o ministro do GSI chamou a imprensa ao Palácio do Planalto para uma entrevista coletiva na qual informou que o governo faria uma "revisão" das medidas de segurança previstas para a Olimpíada, para que fossem identificadas "eventuais lacunas" no planejamento. Etchegoyen destacou ainda que seria uma "monumental irresponsabilidade" o governo não revisar as medidas de segurança e disse que haveria um "incremento" nas ações, como mais postos de controle, mais barreiras e mais restrições no trânsito. Nesta terça, contudo, o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, declarou que o ataque em Nice, de autoria reivindicada pelo Estado Islâmico, não alterou o patamar de risco de atos terroristas durante os Jogos Olímpicos. Segundo Moraes, a probabilidade de um atentado é "absolutamente mínima".

http://g1.globo.com/