sexta-feira, 3 de junho de 2016

Nilópolis estuda decretar estado de emergência para aumentar efetivo

Município tem apenas 134 PMs para 160 mil habitantes.


Prefeito Sandro Mattos, de São João de Meriti, pede 
liberação da Força Nacional para reforço na cidade.
DIEGO VALDEVINO

Rio - Um dia após o prefeito de São João de Meriti, Sandro Matos (PHS), decretar estado de emergência por falta de segurança pública, outra prefeitura da Baixada, também pode adotar a medida. Com apenas 134 policiais militares para 160 mil habitantes, Nilópolis estuda essa possibilidade, conforme revelou ontem o prefeito Alessandro Calazans (PMDB). "Em nossa cidade, após construirmos a companhia da Polícia Militar, passamos a ter 134 policiais. Antes de 2014 só tínhamos 50. Um policial para 1.194 habitantes. Por isso a intenção. Podemos observar que o pior contingente seria na UPP do Batan, são 107 policiais para 28 mil habitantes”, lembrou Calazans. No mês passado ele fechou entradas da cidade, que eram rotas de fuga de traficantes de favelas do Rio. As barreiras da Chatuba foram retiradas por moradores. Na tarde da quinta-feira, Meriti oficializou o decreto de estado de emergência. A medida foi anunciada na quarta-feira. Na noite anterior uma guerra de facções criminosas no bairro do Complexo do Parque Araruama desesperou moradores e feriu uma pessoa por estilhaço de tiros na cabeça. O ofício será enviado para o Governo do Estado, Secretaria de Segurança Pública, Ministro da Justiça e à Presidência da República. “Estou exigindo reforço policial! Se não me atenderem com esse ofício, entro com uma ação pública contra todos para ter a obrigatoriedade no aumento do efetivo policial. O ideal é ter 500 PMs, mas só temos 230. Do Ministério da Justiça queremos a liberação de homens da Força de Segurança Nacional. Infelizmente chegamos neste ponto crítico”, reclamou o prefeito.

Moradores reclamam das invasões de traficantes de comunidades ocupadas com UPPs, que entram em guerra com criminosos pela disputa de território. Há tiroteios frequentes, principalmente de madrugada. Na noite de terça-feira, houve confronto por mais de três horas entre traficantes do Parque Araruama, nos morros Parque Juriti, Caixa D’Água, Morro do Amor, Vila Ruth e Igrejinha.

"Pedágio" de R$ 100 para taxista circular em morros.
Em Meriti, moradores estão com medo. Há toques de recolher em bairros e taxistas estão sendo intimidados por traficantes que cobram pedágio de R$ 100,00 para que eles circulem em morros. “Hoje (ontem) um homem fugiu da polícia em frente à prefeitura e um agente deu um tiro para o alto para capturá-lo. Há assalto para tudo que é lado”, disse um morador. O decreto de emergência pública estabelece que a prefeitura poderá adotar medidas urgentes para restabelecer a ordem pública. Segundo nota da prefeitura: “Buscará, através de ofícios enviados ao Governo do Estado, reforço no efetivo do 21º BPM (Meriti), e à Presidência da República, por meio do Ministério da Justiça, liberação das Forças de Segurança Nacional”.

http://odia.ig.com.br/