quinta-feira, 16 de junho de 2016

Biólogo flagra manchas de esgoto na Baía de Guanabara a 50 dias dos Jogos

Mário Moscatelli encaminhará as imagens ao Ministério Público.


Biólogo denunciará ao Ministério Público despejo de dejetos na 
Baía de Guanabara após flagrar a mancha no entorno da Marina da Glória.
FRANCISCO EDSON ALVES

Rio - A 50 dias dos Jogos Olímpicos do Rio, o biólogo Mário Moscatelli encaminha nesta quinta-feira ao Ministério Público imagens surpreendentes, captadas de um helicóptero, de suposta poluição causada por despejo de esgoto clandestino na Marina da Glória e na Enseada de Botafogo. As extensas manchas registradas pelo ambientalista em vídeo e fotos expõem o drama de atletas que vão disputar as provas de vela na Baía de Guanabara. De acordo com Moscatelli, o flagrante foi feito sábado, às 13:30hs., num sobrevôo com uma equipe de reportagem estrangeira. “Ficamos assustados e indignados de ver como a Baía de Guanabara continua sendo a latrina do Rio, sofrendo com a poluição, mesmo com a tal galeria de cintura da Marina da Glória recém-inaugurada pelo governo estadual. O que adiantou investirem R$ 14.000.000,00 nisso?”, criticou o biólogo.

Em nota, a Cedae argumenta que o sistema de esgotamento sanitário funcionou normalmente no fim de semana. A obra a que se refere Moscatelli foi feita nos mesmos moldes de tubulações assentadas no entorno da Lagoa Rodrigo de Freitas, com canos de grandes polegadas que coletam esgoto. Apesar dos esforços dos governantes para a sua despoluição, ambientalistas garantem que a Baía de Guanabara continua recebendo, sem tratamento, quase a metade ainda dos dos 461,5 milhões de litros de esgoto doméstico produzidos diariamente pelos municípios de seu entorno, o equivalente a 93 piscinas olímpicas. São Gonçalo, onde mais de 60% dos habitantes não têm acesso a rede de esgoto, é o que mais despeja dejetos na baía, o equivalente a 90,8 milhões de litros a cada 24 horas.

“Sem contar com Duque de Caxias, Magé, Meriti, Nova Iguaçu, Belford Roxo, Mesquita e parte de Niterói, que, juntos, são responsáveis por jogar mais de 226 milhões de litros de esgoto sem tratamento algum”, lamentou o biólogo, lembrando que nos últimos vinte anos já foram destinados mais de R$ 10.000.000.000,00 para obras de despoluição de todo o complexo. “E agora o prefeito (Eduardo Paes) acaba de pedir mais R$ 1.000.000.000,00 ao presidente interino, Michel Temer, para financiar os Jogos. Inacreditável”, desabafou o biólogo, que no próximo dia 21, tem audiência com o cardeal do Rio Dom Orani Tempesta. “Vou pedir a ele para interceder em um encontro com o Papa. Acho que só falando com o Papa para tentar uma solução para a baía”, completou.

A Cedae garantiu que não houve lançamento de esgoto no local. “Se tivesse ocorrido, a coloração da mancha não seria branca, mas escura. Desde 2007, o governo do Rio fez com que o índice de esgoto tratado saltasse de 11% para 51% na Baía de Guanabara, devendo superar os 80% em três anos”, diz a nota. Ainda segundo a concessionária, com a conclusão das recentes obras, “O esgoto clandestino que ia para redes de águas pluviais passou a ser encaminhado pela elevatória Marina da Glória, com capacidade de bombear até 450 litros por segundo de efluentes, para o interceptor oceânico e, em seguida, para o Emissário Submarino de Ipanema".

Questionamentos sobre a qualidade da água da Baía de Guanabara já causaram muita polêmica. Há alguns meses, por exemplo, o presidente da Federação Internacional de Vela (ISAF), Peter Sowrey, perdeu o cargo depois de insistir que as águas da baía estão poluídas. Procurada, a prefeitura não quis comentar o assunto.

http://odia.ig.com.br/