quarta-feira, 15 de junho de 2016

Altitude de Teresópolis serve de estímulo para impulsionar negócios

Cidade sedia sétima etapa do Mapa Estratégico do Comércio.


Travessia de 30 quilômetros na Serra dos Órgãos, entre 
Petrópolis e Teresópolis, é uma das atrações turísticas.
HERCULANO BARRETO FILHO

Rio - Teresópolis está a 871 metros do nível do mar. É a mais alta do estado, com altitude que chega a 2.263 no pico da Pedra do Sino, um dos principais pontos turísticos da cidade serrana. Uma condição geográfica propícia a baixas temperaturas, fortalecendo o turismo local nos dias de inverno. A rede hoteleira, capaz de receber até sete mil visitantes, ajuda a criar um ambiente favorável a eventos de grande porte. E é justamente esse potencial que deve ser explorado durante a sétima etapa regional do Mapa Estratégico do Comércio, do Sistema Fecomércio RJ, que sobe a Serra pela primeira vez a partir de amanhã, num evento que reunirá comerciantes e representantes do poder público até sexta-feira, no Hotel Alpina. “Temos gastronomia de nível, confecções próprias e um inverno que facilita escaladas. São atrativos para pessoas de diversos lugares do Brasil e até do exterior. Vamos discutir as melhores formas para trazer ainda mais desenvolvimento para cá”, argumenta o empresário Rodiney Turl, presidente do Sindicato do Comércio Varejista (Sincomércio) de Teresópolis, Guapimirim e São José do Vale do Rio Preto, entidade que representa 3 mil empresas.

Um dos principais assuntos levados para o Mapa será o Festival de Inverno, previsto para agosto, que já ocorre há mais de uma década. É o maior evento cultural do município, que atrai mais de 10 mil visitantes para uma programação que já levou nomes consagrados da MPB, como Lulu Santos, Erasmo Carlos e Capital Inicial. A previsão do sindicato é que os turistas ocupem mais de 85% das vagas disponíveis pela rede hoteleira para um circuito que inclui espetáculos de teatro e shows.

Mas o comércio também tira proveito da situação. Um levantamento feito pelo Sindicato estima o aumento de 15% nas vendas e acréscimo de R$ 2.000.000,00 no comércio local. Outro efeito colateral do evento é a contratação extra de mais de mil profissionais para reforçar o atendimento só nos restaurantes. “A roda do comércio gira. É um dinheiro extra que entra na cidade, aumentando os lucros”, analisa Igor de Oliveira, vice-presidente do Sincomércio. Mas há outra iniciativa que será discutida durante o Mapa do Comércio. A criação de uma feira de negócios voltada para as áreas comercial e de moda, em novembro, pode ser a primeira ação prática definida durante o evento. “A ideia é movimentar o setor na região. Sempre lutamos por espaço para divulgar a indústria da moda. Vamos preparar um espaço para desfile, para que a gente possa apresentar o que temos de melhor”, antecipa Rodiney Turl, presidente do Sincomércio.

O Mapa já motivou iniciativas em outros quatro municípios. Em Angra dos Reis, foi criado um calendário de eventos. Em Três Rios, surgiu o Centro-Sul Negócios. Barra do Piraí terá a segunda edição do festival gastronômico de tilápia. E durantea etapa do Mapa em Valença na semana passada foi acertada a nova edição do festival Vale do Café.

Evento da capital do mundo
Com mais de cem picos, Teresópolis é a capital do montanhismo no Brasil e cidade natal de Mozart Catão, o primeiro brasileiro a escalar o Everest, em 1995. Três anos depois, ele morreu ao ser arrebatado por uma avalanche enquanto tentava conquistar o Aconcágua. Em homenagem ao aniversário de 54 anos dele, completados ontem, a TS Esportes, empresa de montanhismo do município, bancou uma palestra do montanhista Carlos Santalena para cerca de 200 praticantes da modalidade. Santalena foi o mais jovem brasileiro a subir o Everest, quando tinha 24 anos. No mês passado, voltou ao cume da montanha mais alta do planeta. É apenas a primeira iniciativa para fortalecer o comércio vinculado com a identidade do esporte na cidade. “O montanhismo voltado para o turismo em Teresópolis tem tudo para crescer”, avalia o empresário Flávio Cupello, responsável pelo empreendimento.

http://odia.ig.com.br/