quinta-feira, 19 de maio de 2016

Obras atrasam e BRT Transolímpico será inaugurado apenas no fim de junho


Em testes, o VLT tem circulado sem passageiros em diversos horários.

Inicialmente, conclusão de obras estava prevista 
para abril. VLT e Linha 4 do metrô também atrasaram.

GUSTAVO RIBEIRO

Rio - A linha inicial do VLT só será aberta por completo (da rodoviária ao Aeroporto Santos Dumont) em 1º de julho, das 09:00hs., às 17:00hs. Até lá, não haverá funcionamento aos fins de semana. Daí em diante, o serviço será prestado também aos sábados e domingos. A partir de 1º de agosto, o VLT vai operar das 06:00hs., à meia-noite, com oito veículos. A ideia da prefeitura era que o sistema funcionasse 24 horas por dia na Olimpíada, o que deverá ocorrer até o fim do ano. O VLT não é a única obra olímpica de mobilidade atrasada. O BRT Transolímpico, obra de responsabilidade municipal, que vai ligar Deodoro à Barra, será inaugurado só no fim de junho. O contrato original previa conclusão das obras até 26 de abril. Dos 21 pontos de parada, apenas três estarão abertos durante os Jogos: Recreio, Parque Olímpico e Magalhães Bastos. Antes anunciada para 1º de julho, a viagem inaugural da Linha 4 do metrô, construída pelo governo estadual entre Ipanema e a Barra da Tijuca, foi adiada para 5 de agosto, e abrirá somente para os atletas, colaboradores e público das competições. Depois, a linha ficará fechada até os Jogos Paralímpicos, que começam em 7 de setembro. A população que não vai assistir às competições só terá acesso a partir de 19 de setembro.

E o VLT hein? Agora só em junho.
Nem abril nem maio. Menina dos olhos da Prefeitura do Rio para os Jogos Olímpicos, o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) no Centro teve a inauguração adiada pela terceira vez: os bondes modernos só devem começar a circular com passageiros a partir do dia 5 de junho, anunciou ontem a Secretaria Municipal de Transportes (SMTR) — e não mais no próximo domingo, como prometido por último. Reportagem publicada pelo DIA em 13 de abril alertou que o início do VLT, previsto originalmente para aquele mês, estava ameaçado: restavam ainda 5% de obras civis para a conclusão da primeira fase do sistema, entre a Rodoviária Novo Rio e o Aeroporto Santos Dumont. Apesar disso, a SMTR afirmava que o transporte começaria a operar em abril. No fim do mês, no entanto, foi divulgado o novo prazo: 22 de maio. O segundo trecho do VLT, entre a Central do Brasil e a Praça 15, é prometido para o segundo semestre deste ano.

Em testes, o VLT tem circulado sem passageiros em diversos horários.
A SMTR informou que o adiamento foi decidido para dar mais tempo à população de se adaptar à nova configuração viária do Centro. Desde o dia 7 de maio, diversas mudanças estão sendo implementadas, como a inversão de mão de vias importantes e a reabertura da Avenida Rio Branco para carros. As últimas alterações serão realizadas neste sábado. “A inauguração do primeiro trecho do VLT foi transferida para garantir mais segurança a pedestres e motoristas, dando mais tempo aos cariocas para que se acostumem com as alterações no trânsito e a presença do novo modal na região”, explicou a pasta em nota. Para o engenheiro de Transportes Alexandre Rojas, da Uerj, a justificativa da prefeitura não é razoável. “Se fosse esse o motivo, poderiam atrasar só uma semana para as pessoas tomarem conhecimento das mudanças de sábado. Passei há duas semanas na área do Porto e faltava muita obra desse trecho. Deram um novo prazo para terminar esses acabamentos”, opina.

A prefeitura reiterou que a implantação do primeiro trecho se dará em oito fases. A operação com passageiros vai começar com dois trens circulando em horário reduzido na primeira semana (de meio-dia às 15:00hs.) somente entre a Praça Mauá e o aeroporto. O serviço será ampliado gradativamente até 1º de agosto. A tarifa do VLT, fixada em R$ 3,80, só passará a ser cobrada no dia 1º de julho. Até lá, o acesso será livre.

http://odia.ig.com.br/