terça-feira, 17 de maio de 2016

Após mudanças no Centro, passageiros andam mais e criticam

Ao todo, 139 ônibus municipais e 41 intermunicipais 
tiveram alteração no itinerário. Cariocas reclamam de transtornos.


O DIA

Rio - No primeiro dia útil, após as mudanças viárias implantadas, desde sábado, no Centro visando à inauguração do VLT, passageiros de ônibus reclamaram de terem que caminhar mais do que o normal para chegar no ponto. Os transtornos foram maiores na Av. Branco, que voltou a permitir carros em duas faixas. Com a mudança de sentido das ruas Araújo Porto Alegre e Evaristo da Veiga, pessoas que pegavam a condução na Rua da Carioca (que passou a ter o trânsito direcionado ao Castelo) contaram que andaram mais ontem. “Tive que caminhar da Rua da Assembleia até aqui. À noite, ainda deve ser pior. Essa rua é deserta”, contou o aeroportuário Carlos Alberto Lopes, 60 anos, que esperava o ônibus para a Ilha, na lateral do Museu de Belas Artes. A aposentada Aparecida Pereira, 66, caminhou da Nilo Peçanha até a Araújo Porto Alegre atrás do 229 (Castelo - Usina). “Estou perdida. Não sei se vai parar aqui”, reclamou.

Ao todo, 139 ônibus municipais e 41 intermunicipais tiveram alteração no itinerário. Pontos finais também foram transferidos e apenas cinco linhas tiveram circulação mantida na Rio Branco (Troncais 1, 3 e 5, além do 011 e 422). Oito linhas deixaram de passar na Avenida Passos (296,298,378,342,372,373,213 e 275) e agora vão pela Rua General Caldwell ou, no caso das duas últimas, retornam na Candelária. A Avenida República do Paraguai tornou-se mão dupla e a Rua Silva Jardim teve o sentido invertido.

http://odia.ig.com.br/