quarta-feira, 25 de abril de 2018

Governadora de Madri renuncia após vídeo de furto em mercado

Cristina Cifuentes também é acusada de falsificação de diploma.


A presidente da região de Madri, Cristina Cifuentes, do Partido Popular (PP), anunciou nesta quarta-feira (25) sua renúncia ao cargo, após ser acusada de falsificar um diploma de mestrado e de ter um vídeo revelado, no qual, supostamente, é flagrada furtando um supermercado. A renúncia seria anunciada no início de maio, mas por conta da divulgação do vídeo ela resolveu antecipar a decisão. Em uma coletiva de imprensa, Cifuentes alegou que foi vítima de uma campanha de "assédio e demolição", além de afirmar que sofreu "ataques pessoais". Os pedidos de renúncia contra a espanhola começaram há cerca de um mês, quando o jornal digital "El Diario" denunciou irregularidades no diploma de mestrado em direito público de Cifuentes. No entanto, sua situação começou a agravar após um outro site de notícias, o "Ok Diario", divulgar um vídeo da presidente, gravado em 2011, no qual aparece furtando cosméticos de um supermercado. Segundo ela, o furto foi "um erro involuntário" e que cometeu "sem estar consciente". Cifuentes ainda revelou que pagou os cremes com o valor de 40 euros e afirmou ter sofrido tentativas de "extorsão" por conta das imagens.

Na coletiva de imprensa realizada hoje (25), a presidente regional de Madri confirmou que renunciou para não deixar que a "esquerda radical" governe a região e para não colocar "em risco" a gestão do seu partido.

www.terra.com.br