terça-feira, 1 de agosto de 2017

Jucá diz que 'terá consequência' no PMDB para quem votar contra Temer.


BRASÍLIA - O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), afirmou não ter expectativa sobre a votação a respeito da denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB) na Câmara. "Não tem expectativa. Quem tem que botar 342 votos é a oposição. Quando nós precisamos botar 342 votos para tirar a Dilma [Rousseff], nós colocamos. Então, se quer tirar o Michel, tem a obrigação de botar 342 [votos]. Essa não é uma obrigação da base do governo", afirmou. O PMDB fechou questão por votar contra o prosseguimento da denúncia e salvar Temer. Questionado sobre se o PMDB iria expulsar quem desobedecesse a orientação, Jucá afirmou que "o PMDB definiu o fechamento de questão" e que qualquer ato que entre em contradição com "a decisão do partido terá consequência".

Críticas
Mesmo tendo optado por se abster na votação da denúncia, o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), deputado Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), criticou a decisão do PMDB de fechar questão sobre a denúncia. “É um erro o partido fechar questão num tema que não é um projeto de lei, uma reforma importante para o país ou algo que contrarie os princípios da agremiação”, afirmou Pacheco, por meio de nota enviada à imprensa.

Na avaliação do presidente da CCJ, a postura do PMDB desrespeita a individualidade dos parlamentares que fazem parte do partido.“ Estamos diante de uma inédita denúncia criminal contra o presidente, cujos critérios de autorização ou não são muito íntimos e próprios de cada deputado. Punir deputado por votar sim ou não nisso é o fim da representatividade política”.

(Cristiane Bonfanti, Edna Simão, Marcelo Ribeiro e Raphael Di Cunto | Valor)
http://www.valor.com.br