terça-feira, 11 de julho de 2017

Vigilância captura 45 morcegos em imóveis e áreas urbanas.

Animais entram em residências em busca de calor. Especialistas afastam 
possibilidade de riscos, mas um deles estava com vírus da raiva.


FRANCISCO EDSON ALVES

Rio - Contando, parece um filme de terror. Morcegos têm assustado moradores, invadindo residências em todas as regiões do Rio de Janeiro. De acordo com testemunhas, há casos até de pessoas que foram mordidas. Apesar do pânico aparente e de ter capturado 45 animais — um deles contaminado com o vírus da raiva — dentro de casas e apartamentos e em locais públicos, a Subsecretaria de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses, negou que haja infestação. “Não há razão para o pânico que se espalhou nas redes sociais e aplicativos, como WhatsApp, sobre ataques de morcegos”, garante nota da Vigilância Sanitária. O órgão informou que entre os morcegos resgatados, somente um deles era espécie hematófaga, que se alimenta de sangue e é responsável pela transmissão da raiva. Os outros 44 capturados são frugívoros e insetívoros, que não apresentam riscos de mordeduras, pois se alimentam de frutas e insetos, diz a nota. Especialistas ressaltam que as espécies que não apresentam riscos para animais e humanos, são mais comuns no Rio. Como ficam abrigados em copas de árvores, acabam procurando calor dentro de imóveis, acessados por pequenas frestas. O único caso de morcego com o vírus da raiva este ano foi registrado na Praça Seca, Jacarepaguá. Foi um morcego frugívoro que estava caído no chão, que pode ter sido contaminado por algum morcego hematófago, durante disputa por território, de acordo com a Vigilância. “Há perigo em manipular morcegos caídos no chão, pois podem estar contaminados com raiva e morder”, alerta comunicado. Pelo Facebook, moradora da Praia de Botafogo contou que foi mordida. “Fiz sorologia e estou tendo de tomar quatro doses da anti-rábica”, postou. Há relatos de invasões de morcegos também em bairros como Copacabana, Humaitá, São Conrado, Tijuca, Méier, Penha, Largo do Machado e Laranjeiras.

Rio sem casos de raiva há 27 anos
Há 27 anos não ocorre casos de raiva em humanos no Rio. Por precaução, a Vigilância Sanitária vacinou 71 cães e gatos, que podem contaminar as pessoas, contra a raiva, na Praça Seca, onde o morcego com vírus foi resgatado. Um dos gatos está isolado e será monitorado por pelo menos 180 dias.

A Vigilância Sanitária ressalta que morcegos são animais inofensivos, imprescindíveis para o equilíbrio ecológico, e que caçá-los ou matá-los é crime, conforme a Lei Federal 9.605\98. Estudiosos já catalogaram quase 100 mil espécies de morcegos. Há pelo menos 43 delas no Rio. Para evitá-los, a vedação de janelas e telhados com telas é indicada. A Vigilância Sanitária pode ser acionada pela Central 1746.

http://odia.ig.com.br