quarta-feira, 19 de julho de 2017

Servidor: secretário viaja em meio à negociação de regime fiscal.

Depois de Pezão se afastar para tratamento em um SPA, titular da Fazenda vai para o exterior.


Segundo a Fazenda, ausência de Barbosa não atrapalha negociações.
PALOMA SAVEDRA

Rio - Depois de o governador Luiz Fernando Pezão se licenciar esta semana para cuidar da saúde em um SPA em Penedo, outra peça-chave na negociação com a União para acelerar a assinatura do Regime de Recuperação Fiscal, o secretário de Fazenda, Gustavo Barbosa, também se afastou. Segundo fontes, Barbosa viajou para os Estados Unidos. A coluna questionou a pasta sobre os motivos da viagem do secretário, e se a sua ausência neste período não prejudicaria o andamento das negociações em Brasília. Em nota, a Fazenda informou que “Barbosa encontra-se temporariamente ausente da pasta por motivos particulares”. Afirmou ainda que o subsecretário de Fazenda, Luiz Cláudio Gomes, responderá pela secretaria interinamente. “Não há qualquer comprometimento das funções executadas pela Fazenda Estadual, assim como do prosseguimento do acordo do Regime de Recuperação Fiscal junto ao governo federal”, afirmou. A notícia do afastamento de Pezão provocou grande revolta nos servidores, que acumulam atrasos salariais de maio, junho e do 13º. A crítica recaiu principalmente pelo alto custo desembolsado pelo governador para pagar as diárias no SPA, com valores superiores a R$ 1.000,00.

Hoje, o estado depende da adesão ao regime para colocar salários em dia. O governo Pezão vem afirmando que o empréstimo de R$ 3.500.000.000,00 previsto pela recuperação fiscal será utilizado para quitar os débitos com os servidores, incluindo o 13º. O estado ainda deve os vencimentos de maio a mais de 205 mil servidores ativos, inativos e pensionistas. Para quitar este débito, são necessários R$ 453.700.000,00 líquidos. O salário de junho também está atrasado para 216.127 funcionários da ativa, aposentados e pensionistas, em um total de R$ 609.800.000,00 líquidos. Ainda não há previsão para os próximos pagamentos. Até o momento estão em dia os salários dos ativos da Educação (incluindo o Degase), e dos ativos, inativos e pensionistas da Segurança (agentes penitenciários, bombeiros, policiais civis PMs). Após o décimo dia útil (que caiu na última sexta), ativos da Fazenda também receberam junho. E ativos, aposentados e pensionistas da Procuradoria Geral do Estado receberam com recursos próprios do órgão, por meio de decisão judicial que autorizou a medida.

A Fazenda informou que depende do ingresso de recursos em caixa para efetuar novos pagamentos. Ressaltou ainda que “o acordo de recuperação fiscal será imprescindível para a regularização dos salários dos servidores”.

Mais filas para pegar cestas básicas
Enquanto agonizam sem seus salários de maio e junho, servidores do estado fazem imensas filas para pegar cestas básicas. A campanha é promovida pelo Movimento Unificado dos Servidores Públicos Estaduais (Muspe) que distribui em quatro polos. Hoje, é a vez da Coligação dos Policiais Civis do Rio (Colpol) — que fica na Rua Sete de Setembro, 141, 2º andar, no Centro — doar alimentos, a partir das 09:00hs.


Ontem, integrantes do Sepe distribuíram 350 cestas básicas 
a ativos e principalmente a aposentados.

Ontem, ativos, aposentados e pensionistas fizeram fila no Sepe, na Rua Evaristo da Veiga, 55, para buscar os mantimentos. Segundo a coordenadora do sindicato, Marta Moraes, 350 cestas básicas foram entregues. “Foi uma ação bonita, pela solidariedade, e tentamos amenizar o sofrimento delas. Mas foi triste de ver tantas pessoas nesta situação”, disse.

Indignados com os atrasos salariais e a situação que estão enfrentando, os servidores farão dois protestos amanhã. Um ato organizado pelo Sindsprev ocorrerá às 10:00hs em frente à Perícia Médica do Estado, na Praça Tiradentes. Outra manifestação, às 14:00hs, será na porta do Tribunal de Justiça, na Avenida Antônio Carlos, Centro.

http://odia.ig.com.br