quarta-feira, 19 de julho de 2017

Nova onda de violência na cidade assusta os moradores de Niterói.

No Centro, bandidos armados rendem 30 pessoas em clínica dentária na Rua da Conceição.


Crime aconteceu em plena luz do dia, em uma clínica localizada
em uma das mais movimentadas ruas do Centro de Niterói.
Marcio Bulhões
Com Lislane Rottas

Uma nova onda de violência que se estende desde o fim de semana está assustando moradores de Niterói. Nesta terça-feira (18), em plena luz do dia, criminosos armados renderam cerca de 30 pessoas em uma clínica dentária no Centro de Niterói. Elas tiveram armas apontadas para a cabeça e foram ameaçadas por quase duas horas. Durante a madrugada da terça, ladrões fizeram arrastão na Orla do Gragoatá. Na segunda-feira, um bandido utilizou uma refém para conseguir entrar e roubar em um hotel no Centro. Na manhã de domingo, oito criminosos, armados com fuzis, invadiram uma festa rave em Pendotiba e assaltaram participantes. Uma vítima foi agredida com coronhada e precisou ser levada para um hospital.

A clínica dentária, na Rua da Conceição, foi invadida por três bandidos armados no início da tarde. Onze funcionários e cerca de 20 pacientes foram rendidos e ficaram sendo ameaçados por cerca de duas horas pelos criminosos, que estavam com uma pistola e um revólver. Eles levaram celulares, joias, dinheiro e objetos pessoais das vítimas e ainda roubaram equipamentos e instrumentos utilizados pelos dentistas. Antes de deixar a clínica, o trio ainda levou os computares que registraram as imagens das câmeras de segurança do estabelecimento. Funcionários não confirmaram se a clínica abrirá nesta quarta-feira.

Na delegacia, as vítimas se mostraram muito abaladas com o crime. Segundo a secretária da clínica, um dos criminosos entrou primeiro, dizendo que queria fazer um orçamento dentário. Após ser encaminhado para o consultório, os outros dois, que davam cobertura à ação, também entraram e renderam todos os pacientes. A atendente ainda contou que havia crianças e idosos no estabelecimento. “Eles entraram bem-vestidos, não tinha como ter noção de que isso pudesse acontecer. Nos ameaçaram várias vezes, disseram que iam nos matar caso a gente os desobedecesse. Eles ainda ameaçaram dizendo que voltariam. Estamos todos expostos e com muito medo. Ainda não sabemos se vamos trabalhar amanhã, mas os pacientes não podem ficar não mão, né?”, declarou.

Uma das dentista contou que os bandidos, durante o assalto, ironizaram que estavam ali trabalhando. Indignada, ela ainda contou que eles alegaram que tinham família que precisavam sustentá-las. “Além de roubar todo mundo e os nossos equipamentos, eles ainda disseram para gente que a gente não estava lidando com bandidos e sim com trabalhadores, pois segundos eles, todos têm família e filhos para criar. Então, por que eles têm isso podem assaltar a gente?”, questionou.
O caso foi registrado na 76ª DP (Centro).


Quiosques assaltados na orla do Gragoatá na madrugada de terça-feira 
já haviam sido alvos de criminosos armados de fuzil, há cerca de um mês.

No Gragoatá, arrastão nos quiosques
Dois quiosques na Orla do Gragoatá voltaram a ser alvos de bandidos em menos de um mês. Dessa vez, o bando chegou em dois carros e o crime aconteceu por volta das 02:00hs da madrugada da terça-feira (18). Assim como da primeira vez, os criminosos levaram dinheiro e pertences dos clientes. A informação de que estava havendo um arrastão se espalhou e um outro quiosque da orla só não foi assaltado porque o funcionário pegou o dinheiro do caixa e se escondeu nas pedras próximo à água. Segundo a PM, um taxista também pulou nas pedras para fugir do arrastão. O dono do primeiro quiosque assaltado contou que não vai mais funcionar 24 horas. “Mesmo depois do primeiro assalto insistimos em funcionar na madrugada, pois somos uma tradição aqui em Niterói. A gente nunca fecha. Mas, depois de dois assaltos em menos de um mês, já é demais. Agora só vou funcionar até as 23:00hs. Como nunca fechávamos, o quiosque não tem janela, somente um toldo. Infelizmente vamos ter que providenciar essa mudança. Trabalho com isso há 30 anos e agora estamos passando por essa situação”, desabafou.

O subcomandante do 12º BPM (Niterói), tenente-coronel Fábio Marçal, informou que nesta semana a PM vai se reunir com os moradores do Gragoatá para discutir segurança. “O policiamento no local é feito por viatura específica para esse bairro, que também conta com viaturas permanentes nas comunidades próximas: Cavalão e Palácio. Nossa equipe do Serviço Reservado (P2) também está buscando informações sobre os autores”, declarou.

Ladrão usa refém para roubar hotel
Um hotel na Rua Visconde de Uruguai, no Centro de Niterói, foi invadido no início da manhã de segunda-feira, por um homem armado que fazia uma mulher de refém. De acordo com testemunhas, o criminoso exigiu que um funcionário do hotel abrisse a porta para que ele pudesse entrar no estabelecimento. Por cerca de dois minutos o criminoso revirou as gavetas da recepção à procura de dinheiro e após encontrar três telefones celulares e uma pequena quantia, fugiu do local levando a refém sob a mira da arma. Uma funcionária da recepção contou que havia hóspedes no hotel, mas nenhum deles foi assaltado. Segundo a mulher, o criminoso agiu rapidamente para deixar logo do estabelecimento. “Ele passou pela primeira porta e gritou para o porteiro abrir a segunda, caso contrário atiraria na mulher. O porteiro, temendo pela vida dela, abriu o portão e ele entrou. Rapidamente o bandido pegou tudo o que viu pela frente, puxou a mulher novamente e saiu pela rua com a arma apontada para ela”, disse.

Toda a ação criminosa foi registrada por câmeras de segurança do estabelecimento. Nas imagens é possível ver o momento em que o bandido entra puxando a vítima pelos cabelos para dentro do estabelecimento. O caso foi registrado na 76ª DP (Centro).

Pendotiba: terror em festa
Oito criminosos armados, alguns de fuzil, invadiram uma festa rave em um sítio na Estrada dos Ourives, na localidade de Muriqui, na região de Pendotiba, aterrorizando participantes neste no fim de semana. Segundo testemunhas, o evento reunia cerca de 500 pessoas e foi invadido pelos criminosos por volta das 06:00hs de domingo. Ainda de acordo com relatos, os assaltantes roubaram cerca de R$ 1.500,00 do caixa, celulares e objetos pessoais, e ainda deram uma coronhada em uma mulher que se recusou a entregar a bolsa. Policiais do Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) Largo da Batalha foram acionados para o local, mas quando chegaram os bandidos já tinham fugido. A jovem ferida pela coronhada precisou ser levada para um hospital, mas não foi divulgada a unidade em que ela deu entrada.

Uma testemunha relatou que os bandidos entraram no sítio pelos fundos. “Foi uma festa que começou no sábado à tarde e só terminou no domingo. Foi organizada por um produtor que também comemorou o aniversário no evento. Tinha seguranças particulares, uma boa estrutura, porque o sítio possui grande espaço. Em determinada parte do terreno, estavam a piscina e o local da festa. Ali, os seguranças da empresa privada se concentraram. Já no outra parte, atrás do terreno, havia uma mata que estava desassistida. Assim, os oito bandidos entraram no terreno por ali. O que soubemos é que eles [bandidos] chegaram a disparar na festa mas graça a Deus ninguém ficou ferido”, contou.

De acordo com o subcomandante do 12º BPM (Niterói), tenente-coronel Fábio Marçal, a festa foi realizada sem o conhecimento da polícia e não houve comunicação do ocorrido para o 190. “Uma viatura chegou no local por volta das 08:00hs da manhã. Segundo as pessoas que estavam lá, houve um desentendimento entre os seguranças da festa e guardadores de carro que seriam moradores da localidade Campo Novo. Logo depois, aconteceu o ocorrido. Acreditamos que esses guardadores, por raiva, possam ter chamado traficantes da área para irem até o local. As equipes fizeram um vasculhamento na área, mas ninguém foi encontrado”, declarou.

O produtor da festa foi procurado para comentar o incidente, mas não retornou o contato Até o fechamento desta matéria, o caso não havia sido registrado na 79ªDP (Jujuruba), delegacia responsável pela área.

www.ofluminense.com.br