quinta-feira, 6 de julho de 2017

Niterói cria projeto para ajudar o estado na área de Segurança.

Duzentos homens vão patrulhar Icaraí e o Centro, em iniciativa apoiada pela Fecomércio.


Projeto Centro Presente, do Rio, é a inspiração da iniciativa em Niterói.
O DIA

Rio - A partir de agosto o Centro de Niterói e Icaraí irão contar com mais 200 policiais no programa chamado ‘Niterói mais segura’. Para isso, uma parceria com a Fecomércio foi assinada. O modelo de policiamento será o mesmo implantado nos bairros do Centro, Lagoa e Méier, na capital. O prefeito Rodrigo Neves disse que a medida foi tomada após a crise estadual. “Esse programa integra o conjunto de ações em apoio às forças policiais diante do agravamento do problema da segurança pública no Estado do Rio. O projeto é inspirado em experiências bem-sucedidas como o Centro Presente, uma parceria na capital entre o Estado e a Fecomércio”, disse. Além de pagar policiais para o patrulhamento, o programa prevê a inclusão de jovens que não trabalham em escolas. “Apesar da segurança ser responsabilidade constitucional do governo estadual, acreditamos que é fundamental, além de cobrar muito, cooperar com as forças policiais que atuam em nossa cidade e apoiar a juventude para que, nesse momento de grave crise, haja opções e oportunidades de formação e emprego”, afirmou Neves.

O coronel Paulo Henrique Moraes, secretário executivo do Gabinete Municipal de Gestão de Segurança, será o coordenador do programa, que terá, além de policiais militares, ex-soldados do Exército, em ações de policiamento ostensivo. “Vamos trabalhar basicamente com os policiais a pé, com o apoio de algumas patrulhas, em áreas pré-determinadas. Nosso foco principal será o combate aos roubos a transeuntes em áreas de grande movimentação de pessoas, como regiões de comércio, rodoviárias etc.”, explicou.

O patrulhamento será feito em trio: dois policiais armados, com apoio de um ex-militar do Exército. As ações serão filmadas. “Com o uso da câmera, a abordagem garante meios de prova para qualquer desvio e reduz o número de conflitos”, disse. Todo o suporte logístico ficará a cargo das entidades comerciais, cabendo à prefeitura o pagamento aos agentes. Atualmente, o batalhão de Niterói conta com 1.345 homens. Com o programa, parte do efetivo será liberada para outras regiões do município. O presidente do Sindilojas, Charbel Tauil, acredita em uma nova fase de desenvolvimento municipal. “Essa iniciativa é de suma importância nos dias de hoje onde a violência está em todos os lugares. Essa ação vai aumentar a segurança na cidade, permitindo a retomada do crescimento do comércio”.

http://odia.ig.com.br