quinta-feira, 8 de junho de 2017

O navio Camboinhas.


O navio Camboinhas vinha da Argentina já apresentando muitos problemas durante a viagem. Na altura da Restinga da Marambaia as máquinas pararam e o navio teve de ser rebocado pelo Rebocador Falcão. Na quarta-feira de  (27.05.1958), o cabo de reboque partiu e devido a forte ventania o Camboinhas acabou por encalhar na praia de Itaipú (hoje, esta parte da praia é chamada de Camboinhas), na cidade de Niterói, RJ. Para tentar o desencalhe, foi enviada a Corveta V 20 (Angostura), da Marinha do Brasil, porém, esta corveta acabou por encalhar na mesma praia.


Mas uma tentativa foi feita, utilizando-se outro vapor argentino, da mesma companhia de navegação do Camboinhas, provavelmente o Borocacha tendo este o mesmo destino dos dois navios anteriores. Enquanto isso, o mau tempo castigava o casco e a casaria do Camboinhas, inclusive derrubando sua chaminé.

Apesar do tempo, o segundo vapor e a corveta Angostura (V 20) da Marinha do Brasil conseguiram se safar. Um terceiro navio tentou o socorro, era o rebocador Tridente, que também acabou por encalhar na mesma praia. As fotos da época mostram, em dado momento, três navios encalhados. Com a melhora do tempo, e a ajuda de cinco navios e uma draga a Angostura e o Tridente foram desencalhados, porém o Camboinhas já estava perdido, com o casco totalmente a mostra e partido. Assim decidiu-se pelo seu sucateamento. Para isso, construiu-se um acesso a praia que existe até os dias de hoje.

http://camboinhasbeachpousada.com.br