terça-feira, 6 de junho de 2017

MPF abre inquérito para investigar US$ 80.000.000,00 da JBS para Lula e Dilma.


BRASÍLIA – O procurador da República Ivan Claúdio Marx, do Distrito Federal, abriu inquérito na segunda-feira para investigar suposta doação de US$ 80.000.000,00 para abastecer campanhas dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. Em delação premiada, o empresário Joesley Batista, da JBS, disse que Lula e Dilma sabiam das contas no exterior abertas para receber o dinheiro. Segundo a assessoria do MP, o ministro relator da Lava-Jato, Edson Fachin, desmembrou o processo porque entendeu que o caso está relacionado com a Operação Bullish, que investiga irregularidades em empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) com a JBS. Lula e Dilma não possuem prerrogativa de foro privilegiado.

Na delação, Batista disse que pela conta passaram pelo menos US$ 150.000.000,00. Seriam US$ 70.000.000,00 a US$ 80.000.000,00 ainda durante o governo do ex-presidente Lula e mais valores parecidos em 2014, quando Dilma se reelegeu presidente. O empresário disse que a conta era usada para fazer repasses de acordo com indicações do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, que aparece em outras delações como um dos principais arrecadadores do PT. Todo o dinheiro para Mantega, em troca de benefícios à JBS, teria ficado em contas de Joesley no exterior, de 2009 a 2014.

O caso referente a citações sobre o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha e ao doleiro Lúcio Funaro será investigado pela Operação Sépsis, que visa a Empresa Eldorado Brasil, produtora de celulose de eucalipto, cuja sede fica no mesmo prédio da JBS e da J&F, em São Paulo.

extra.globo.com