quinta-feira, 25 de maio de 2017

PM lança bombas e dispersa manifestantes próximo à Alerj

Dentro da Casa, deputados aprovavam o aumento da alíquota previdenciária para os servidores.


O DIA

Rio - Enquanto os deputados estaduais aprovavam a alíquota previdenciária dos servidores dentro da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), PMs lançaram bombas contra manifestantes na porta da Casa. O ato acontece desde o início da tarde quarta-feira, na Rua 1º de Março, Centro do Rio, mas os confrontos entre a polícia e os manifestantes só se iniciaram após às 15:00hs., após a aprovação do projeto. Os militares usaram bombas de gás e balas de borracha para dispersar grupo de manifestantes que se aglomerava do lado de fora da Alerj. Houve pânico e muita correria. Segundo a Polícia Militar, manifestantes foram contidos após tentativa de invasão ao local. Através do seu Twitter, a corporação confirmou que confronto começou na Rua Dom Manoel esquina com a Avenida Erasmo Braga, na lateral da assembléia. Ainda não há informações sobre a quantidade de feridos. Tomadas por manifestantes, o trânsito das ruas próximas foi interditado por agentes da CET-Rio. Estabelecimentos que ficam próximos à Alerj ficaram fechados para evitar depredação. Segundo o Centro de Operações da Prefeitura, o município entrou em Estágio de Atenção às 16:50hs., por conta da confusão. O Estágio de Atenção é o segundo nível em uma escala de três e significa que um ou mais incidentes impactam, no mínimo, uma região, provocando reflexos relevantes na mobilidade.

Seguiram interditadas a Rua Primeiro de Março e Av. Presidente Antônio Carlos, a partir do Tribunal de Justiça. O desvio de tráfego foi feito pela Avenida Almirante Barroso;, as pistas central e lateral da Avenida Presidente Vargas, sentido Candelária, a partir da Avenida Passos, e a Avenida Rio Branco, a partir da Avenida Presidente Vargas. Os motoristas foram desviados para a Avenida Passos. Houve pontos de retenções na Avenida Presidente Antônio Carlos, Rua Santa Luzia, Rua Araújo Porto Alegre, Avenida Passos, Avenida República do Paraguai e Rua da Carioca. O VLT operou provisoriamente, na linha 1, entre Rodoviária e Parada dos Navios. A linha 2 ficou fora de operação. O Metrô Rio informou que, por motivos de segurança, o acesso C (Convento) da estação Carioca tinha sido temporariamente fechado.

Em nota, a assessoria de imprensa da PMERJ informou que, até aquele momento, a Polícia Militar conduziu seis pessoas para as delegacias da região e, destas, duas ficaram detidas por ataques contra os policiais durante o protesto realizado em frente à Alerj. Ainda segundo a assessoria da PM, o confronto começou quando manifestantes mascarados tentaram invadir o prédio pela lateral da Assembleia e os policiais precisaram intervir, fazendo uso progressivo de força. A polícia conseguiu dispersar o grupo, que retornou depois que a sessão foi encerrada com a aprovação do aumento da alíquota. Os mascarados, então, atacaram com pedras e com rojões as equipes policiais.

Um dos detidos foi preso por policiais do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (Gepe), e conduzido para a 10ª DP (Botafogo). Já o outro foi preso por agentes do Centro Presente, com apoio de policiais do 4°BPM (São Cristóvão), e levado para a 9ªDP (Catete).

http://odia.ig.com.br