segunda-feira, 3 de abril de 2017

Reforma da Previdência corre o risco de não passar na Câmara

Palácio tem placar a favor apertado para a PEC. Além da oposição 
de PT, PDT, PCdoB e legendas pequenas, a própria base está rachada.


O DIA

Coluna de Leandro Mazzini

Brasília - A reforma da Previdência do Governo de Michel Temer corre sério risco de não passar na Câmara Federal, e ser enterrada. Foi sinal dado por articuladores na Casa. O Palácio tem placar a favor apertado para a PEC. Além da oposição de PT, PDT, PCdoB e legendas pequenas, a própria base está rachada. Solidariedade, ligada à Força Sindical, e o PTB, por questões históricas trabalhistas, não fecharam com o Governo.

Foro íntimo
A pressão nacional dos milhares de sindicatos e de eleitores nas redes sociais surte efeito, e muitos deputados da base têm pedido aos líderes para não fecharem questão. Por isso o próprio presidente Michel Temer resolveu entrar na articulação e chamar os líderes do Governo às falas. Exige fidelidade dos congressistas, doa a quem doer.

Vale lembrar
O então presidente Lula também fez uma reforma (paliativa) da Previdência em 2003. Mas a grita dos sindicatos, aliados, foi ínfima, e o petista estava no melhor momento.

Corporativismo
Presidente e vice-presidente do PMDB, o senador Romero Jucá (-RR) e o chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha (RS), desconversam ao serem indagados sobre a expulsão do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da legenda.

http://odia.ig.com.br