quarta-feira, 15 de março de 2017

Muita gente acordou mais cedo para tomar vacina contra a febre amarela.

Depois do anúncio, por precaução, da ampliação da aplicações 
das doses no estado, fila nos postos começaram de madrugada.


Erica levou o filho para atualizar a caderneta de vacinação, 
em busca da imunização contra a febre amarela.
JONATHAN FERREIRA

Rio - No dia seguinte à decisão do governo do estado de ampliar a vacinação contra a febre amarela, por precaução, para os 92 municípios fluminenses, longas filas se formaram em unidades de atenção básica no Rio. Na Cidade do Rio, 34 postos estão aplicando doses. A procura pela vacina começou na madrugada de terça-feira. “O segurança do posto disse que algumas pessoas chegaram às 05:00hs., para garantir as doses. Infelizmente, como são 80 senhas por dia, vou ter que voltar para casa sem tomar”, lamentou um paciente que esteve ontem Centro Municipal de Saúde Heitor Beltrão, na Tijuca. O homem, que não quis se identificar, ficou preocupado com a possibilidade de um surto da doença e procurou vacina, embora o governo tenha esclarecido que não precisa alarde. A estudante Erica Campeiro, de 31 anos, levou o filho para atualizar a carteira de vacinação, ontem de manhã, na mesma unidade de saúde. “Estou preocupada e quero garantir a vacinação”, comentou. Para reforçar a aplicação das doses na cidade, a secretaria municipal de Saúde, vai colocar 233 unidades de atendimento à disposição do público, incluindo Clínicas da Família e Centros Municipais de Saúde. A campanha deverá se intensificar a partir da última semana deste mês.

O subsecretário estadual de vigilância em saúde, Alexandre Chieppe, participou ontem de audiência pública na Alerj, para discutir que cuidados serão tomados pelo estado para evitar a chegada da doença. Ele afirmou que o estado possui recursos suficientes para ampliar a vacinação. A verba, segundo ele, é destinada pelo governo federal para os programas de vigilância em saúde. Chieppe ressaltou que a propagação da doença está ocorrendo por transmissão silvestre: “Não há confirmação de casos no perímetro urbano do Rio. Não podemos descartar a possibilidade de introdução da doença nas cidades, mas isso não significa que vai ocorrer um surto urbano”.

O governo do Rio quer imunizar 12 milhões de pessoas este ano. Como não há confirmação de febre amarela no estado, Chieppe reforçou que só pessoas com viagens agendadas para áreas endêmicas devem tomar as doses. Está previsto para sair hoje o resultado dos exames de sangue de Watila Santos, 38 anos, que morreu em Casimiro de Abreu com suspeita de febre amarela. Veja os bairros que têm postos com vacinação contra a febre amarela. Mais informações: www.prefeitura.rio/web/sms

Centro (dois postos) - Gávea - São Conrado - Penha - Engenho de Dentro - Santo Cristo - Praça Onze - Rio Comprido - São Cristóvão - Santa Teresa - Paquetá - Catete - Botafogo - Copacabana - Tijuca - Vila Isabel - Ramos - Complexo do Alemão - Penha - Zumbi - Del Castilho - Engenho da Rainha - Irajá - Rocha Miranda - Guadalupe - Madureira - Jacarepaguá - Recreio - Barra da Tijuca - Jardim - - Sulacap - Bangu - Campo Grande - Santa Cruz

http://odia.ig.com.br