terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Forças Armadas já estão em Vitória para reforçar policiamento

Desde a última sexta-feira, a capital capixaba está sem policiamento nas ruas e familiares 
de policiais militares estão dificultando a saída de viaturas como forma de protesto.


Lojas foram saqueadas durante a paralisação 
da Polícia Militar no Espírito Santo.
AGÊNCIA BRASIL

Brasília - Tropas das Forças Armadas já estão em Vitória, capital do Espírito Santo, para atuar no patrulhamento da cidade, informou no início da noite de hoje o ministro da Defesa, Raul Jungmann. Desde a última sexta-feira, a capital capixaba está sem policiamento nas ruas e familiares de policiais militares estão dificultando a saída de viaturas como forma de protesto. Nas manifestações, eles reivindicam reajuste salarial e o pagamento de auxílio-alimentação, periculosidade, insalubridade e adicional noturno para os policiais. De acordo com o ministro, as tropas federais permanecerão “o tempo necessário” no estado até que a situação esteja normalizada. “Nosso compromisso é de seremos inflexíveis e determinados em restaurar a normalidade, a ordem, a paz e a tranquilidade em Vitória e onde for necessário. O presidente (Michel) Temer determinou a nossa presença aqui e que permanecêssemos o tempo necessário para que a ordem fosse recuperada”, disse o ministro.


Passageiros precisaram se abaixar em ônibus durante um tiroteio.

À tarde, atendendo solicitação do governador em exercício do estado, César Colnago, o governo federal autorizou o envido de militares das Forças Armadas e 200 homens da Força Nacional com o objetivo de ajudar na retomada dos serviços de policiamento no estado. “Já estamos nas ruas e nas próximas horas ou até amanhã estaremos com efetivo compatível com a necessidade. Se o planejamento em conjunto com as forças policiais aqui no Espírito Santo assim determinar, teremos a disposição de agregar efetivos adicionais”, disse Jungmann em entrevista à imprensa, em Vitória.


Familiares de PMs estão dificultando a saída de viaturas como forma de protesto.

Já o governador em exercício do estado afirmou que a solicitação de reforço federal se deu devido ao impasse com os familiares dos policiais militares. “A população precisa de um serviço de segurança que não pode se ausentar na forma da lei e da Constituição e, devido a esse impasse, estamos aqui garantindo que vamos trabalhar diuturnamente para restabelecer a ordem, o serviço de segurança com a ajuda do governo federal”, disse Colnago.

http://odia.ig.com.br