terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Via Dutra tem recorde de assaltos a ônibus

Só em 2016, foram registrados 1.095 roubos a coletivos em 170 quilômetros da rodovia no estado.


Após três assaltos, Ronister, da Viação Vera Cruz, 
só leva o celular antigo para o trabalho.
BRUNA FANTTI 
E GUSTAVO RIBEIRO

Rio - Com cerca de 170 km de extensão no Estado do Rio, a rodovia Presidente Dutra foi a via mais visada para assaltos em ônibus em 2016, segundo levantamento do DIA junto às empresas de ônibus. Foram 1.095 roubos em coletivos na rodovia, uma média de três assaltos por dia, como mostra esta terceira reportagem da série 'Passageiros da Agonia'. A responsabilidade do policiamento na via é da Polícia Rodoviária Federal. Somente na divisa entre os municípios de São João de Meriti e Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, foram 131 ônibus assaltados. Nem todos tiveram registros em delegacias. Os constantes assaltos fazem com que passageiros e pedestres que ficam em pontos de ônibus adotem diferentes medidas. “Ando com pouco dinheiro e fico com a bolsa grudada ao corpo”, afirmou uma passageira, que pediu para não ser identificada. “Fui assaltada e levaram meu dinheiro para pagar contas. Cortaram a luz da minha casa por conta do atraso”, afirmou Ana Lúcia Souza Carlos, 47 anos, em um registro de ocorrência na delegacia de São João de Meriti, em outubro, confeccionado um mês após o roubo. Os locais onde embarcam e desembarcam os criminosos são de conhecimento de quem frequenta constantemente as linhas. “Perto da Casa do Alemão, de shoppings e favelas eles desembarcam. Os assaltos duram menos de 3 minutos. Normalmente entram com bonés ou casacos, mostram a arma e fazem ameaças”, disse um motorista, que pediu para não ser identificado.

O despachante de empresa de ônibus Ronister Fergil, 36 anos, disse que já não usa um celular moderno. “Fui assaltado três vezes ano passado. Duas delas enquanto estava no ponto, trabalhando. Eles (assaltantes) desceram do ônibus, que já tinham assaltado. Agora, não uso mais o Whatsapp na rua. Isso prejudica o trabalho porque fica difícil me comunicar com os outros fiscais”, afirmou.

Procurada, a Polícia Rodoviária Federal afirmou, em nota, que há subnotificação no crime de roubos a ônibus. “É muito comum as vítimas não registrarem a ocorrência, o que não é de forma alguma recomendável. Mesmo que sejam objetos de pequeno valor, como anéis, relógios, celulares, entre outros. Além de auxiliar no direcionamento do trabalho policial, é importante para responsabilizar criminalmente os bandidos presos. Já houve um caso, no ano passado, em que prendemos um assaltante de coletivos que agia na região de São Gonçalo e cerca de 15 dias depois prendemos o mesmo bandido praticando o mesmo crime. Portanto, no dia em que for preso, ele responderá por todos os crimes cometidos, aumentando assim a sua pena e ficando mais tempo preso”.


Via Dutra tem triste recorde de assaltos.
Tiroteio no domingo
Na noite do último domingo, criminosos atacaram um ônibus na Via Dutra, na altura de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, e assaltaram 40 passageiros. Policiais rodoviários federais cercaram o veículo, que faz o trajeto Central do Brasil – Vila de Cava e houve tiroteio. A abordagem ocorreu na altura do bairro Augustinho Porto, quando os assaltantes mandaram o motorista parar no acostamento e anunciaram o assalto. Segundo os passageiros, os bandidos agiram com violência e uma mulher foi agredida com uma coronhada no rosto.

Agentes rodoviários federais faziam uma ronda com as luzes da viatura apagadas e perceberam a movimentação estranha no ônibus. Um tiro foi disparado de dentro do veículo e os agentes resolveram revidar. Um dos criminosos foi atingido e levado para fora por outro assaltante. Ambos foram presos. Alguns passageiros ficaram levemente feridos e não precisaram ser removidos para o hospital. Em 2016, somente na delegacia de Vilar dos Teles, 449 pessoas realizaram registros de roubos em coletivos.

http://odia.ig.com.br/