quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Alunos criam 'vaquinha' para conscientizar população sobre custos da Uerj

Ação mostra que nem mesmo contribuições voluntárias ajudariam a salvar a universidade da crise.



Alunos criam 'vaquinha' para mostrar que não será 
possível manter a Uerj sem apoio do governo estadual.
GABRIELA MATTOS

Rio - Ao acessar o site "Uerj Viva" pela primeira vez, os internautas podem pensar que é um portal para arrecadar dinheiro para a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), já que no início da página há a descrição: "Financie sua mobilização". No entanto, os organizadores criaram "vaquinha" que não recebe contribuições. Divulgada na terça-feira, a iniciativa pretende conscientizar a população sobre os custos e a grave crise financeira da universidade. De acordo com estudantes, a ideia é reforçar que nem mesmo ajuda voluntária quitaria as dívidas da Uerj. Eles mostram que, para manter a faculdade funcionando, seria preciso de 10 mil doadores bancando R$ 9.000,00 por mês. Ao todo, são 35 mil alunos inscritos na graduação. "Voluntarismo e filantropia não sustentam grandes universidades", enfatizam na descrição do site. No portal, os jovens citam ainda que a Uerj tem um orçamento de R$ 1.100.000.000,00 por ano, incluindo as unidades de saúde, como Hospital Universitário Pedro Ernesto (Hupe), o equivalente a um investimento anual de R$ 26 .000,00 por aluno. "Parece muito, mas ainda é um investimento modesto se comparado ao das melhores universidades brasileiras e estrangeiras", explicaram. Os organizadores destacam que é preciso pressionar o governo sobre a crise na universidade. Além disso, eles convidam os alunos e servidores a participarem de protestos nas ruas e de mobilizações em redes sociais.

A iniciativa agradou os graduandos da faculdade. Estudante de Letras, Felipe Fritz, de 20 anos, disse que é uma forma de resistência dos universitários. "A iniciativa é boa, assim como todas as ações que têm ocorrido dentro e fora da Uerj, mas não sei se pressiona o governo", pontuou. Já para o professor de Jornalismo Rafael Casé, toda forma de manifestação é válida. "Mostrar os números é também uma maneira de dizer a relevância da Uerj", explicou. Ele acrescentou ainda que a população não pode ver a universidade apenas como um centro formador de profissionais. "Temos que mostrar como o ensino público tem uma função importante na nossa sociedade. Há anos a Uerj sofre um sucateamento e não recebe verba corretamente. É preciso pensar na educação como questão de prioridade", enfatizou Casé.

Uerj recebeu R$ 767.400.000,00 do Estado em 2016.
Em nota divulgada nesta terça-feira, o estado informou que a Uerj recebeu R$ 767.400.000,00 no ano passado. "O governo reconhece a importância da universidade e tem concentrado esforços na busca de soluções", acrescentou. O governo afirmou que, em relação a 2016, encontram-se pendentes de pagamento R$ 176.400.000,00 em pessoal da Uerj, que representam 16% do orçamento total da universidade, relativos ao 13º salário e ao salário de dezembro.


Estudantes e servidores fizeram ato na Uerj na última quinta-feira.
Veja a íntegra da nota
O Governo do Estado do Rio de Janeiro reconhece a importância da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e tem concentrado esforços na busca de soluções para a superação do atual quadro de graves dificuldades enfrentadas pela instituição, uma das mais qualificadas do país. Os números ilustram a persistente luta do governo estadual pela Uerj. A grave crise financeira enfrentada pelo Estado que, junto aos estados do Rio Grande do Sul e Minas Gerais, já decretou calamidade financeira, não impediu repasses de recursos para manutenção e despesa de pessoal à universidade que totalizaram R$ 767.400.000,00 em 2016, sendo R$ 189.200.000,00 em custeio e R$ 578.2 00.000,00 em pagamento de pessoal.

A dotação orçamentária da Universidade (incluindo pessoal e custeio) foi de R$ 1.100.000.000,00 em 2016, o que significa que 76% do orçamento total da Uerj foram efetivamente repassados. Os repasses não ocorreram na sua totalidade devido à crise nas finanças estaduais, provocada pela significativa queda na receita de tributos em consequência da depressão econômica do país, o recuo na arrecadação de royalties e a redução dos investimentos da Petrobras. Ainda em relação a 2016, encontram-se pendentes de pagamento R$ 176.400.000,00 em pessoal da Uerj, que representam 16% do orçamento total da universidade, relativos ao décimo terceiro salário e ao salário de dezembro. É importante ressaltar que essa pendência não se refere exclusivamente à Uerj, e inclui também servidores ativos, inativos e pensionistas de outros órgãos e secretarias. O calendário de pagamento dos vencimentos de dezembro será apresentado pela Secretaria de Estado de Fazenda e Planejamento esta semana. Em custeio e investimento, ficaram pendentes de pagamento R$ 84.700.000,00, que representam apenas 7,1% do orçamento total Uerj.

Os professores da Uerj também têm sido valorizados pelo governo estadual. Desde o início de 2010, houve aumentos de salários para os professores da instituição que variaram entre 43,7%, no caso dos professores adjuntos, a 73,3%, para professores associados. O número de bolsas pagas a alunos de graduação subiu de 2.004, em 2007, para mais de 8.500 na atualidade. O Governo do Estado reconhece que é preciso encontrar soluções que garantam os repasses integrais à Uerj e, para alcançar esse objetivo, mantém aberto, de forma permanente, o canal de diálogo com a universidade.

http://odia.ig.com.br/