quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Odebrecht pagou R$ 2,6 bilhões em propina para políticos de vários países, diz Justiça dos EUA

Valores eram entregues pela empresa em pacotes ou malas deixadas em locais predeterminados.


R7

O departamento de justiça dos Estados Unidos afirmou nesta quarta-feira (21) que a Odebrecht está envolvida há mais de uma década em um esquema de corrupção "maciço" e "incomparável" ao redor do mundo. O órgão ressalta que a empreiteira brasileira pagou desde 2001 nada menos do que R$ 2,6 bilhões (US$ 788 milhões) em propina para funcionários do governo, seus representantes e partidos políticos de vários países. O relatório aponta que parte dos valores foram entregues pela empresa dentro e fora do País "com pacotes ou malas deixadas em locais predeterminados". Segundo a justiça norte-americana, os acordos firmados pela construtora tinham o objetivo de ganhar negócios nesses países. O departamento ressalta ainda que a empresa operava com um departamento secreto destinado apenas para contabilizar o dinheiro que seria destinado ao pagamento das propinas. "Para ocultar suas atividades, a Divisão de Operações Estruturadas utilizou um sistema de comunicações completamente separado, que permitiu a comunicação de membros do setor com operadores financeiros externos e outros co-conspiradores sobre os subornos", afirma o documento da justiça norte-americana. O documento detalha ainda que o departamento de propina da Odebrecht gerenciava um "orçamento fantasma" para que as operações por meio de um computador usado para solicitar e processar os pagamentos, além de preencher as planilhas que rastreavam o destino dos valores. Segundo o departamento, os repasses de propina foram realizados por diversos métodos.

A Odebrecht firmou um acordo de leniência com o MPF (Ministério Público Federal) do Paraná no qual se compromete a pagar o equivalente a R$ 3,8 bilhões para quitar seus débitos com autoridades brasileiras, suíças e dos Estados Unidos. Desse valor, R$ 3 bilhões serão devidos ao Brasil, para fins de ressarcimento dos prejudicados com o esquema de corrupção do qual a empreiteira fez parte. Com o acordo, a Odebrecht se compromete a revelar o que sabe sobre as irregularidades do esquema de corrupção praticado na Petrobras e em outras esferas de poder e pode continuar exercendo normalmente suas atividades.

http://noticias.r7.com/