quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Secretaria acusa Cedae pelos alagamentos no Centro e na Zona Sul

Vistorias constataram que as enchentes foram provocadas 
por problemas operacionais da concessionária.


Secretaria acusa Cedae pelos alagamentos no Centro e Zona Sul.
AGÊNCIA BRASIL

Rio - A Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos do Rio acusou a Companhia Estadual de Água e Esgoto (Cedae) pelos transtornos provocados durante o dia com os alagamentos em ruas do Catete, Lapa e Passeio Público, após o temporal que atingiu a cidade no final da noite de segunda-feira e início da madrugada desta terça-feira. De acordo com a secretaria, foram realizadas vistorias na manhã de terça-feira em ruas dos bairros do Catete e no entorno do Passeio Público e ficou constatado que os alagamentos foram provocados por problemas operacionais da concessionária de água e esgoto Cedae. “Duas comportas operadas pela empresa situadas na altura da Rua do Russel, na Glória, e na Marina da Glória não operaram em sua plenitude, o que dificultou o escoamento das galerias de águas pluviais”, disse em nota o órgão de conservação da prefeitura do Rio. Pela manhã, equipes da concessionária de água e esgoto e da Secretaria de Conservação foram para as ruas com a finalidade de minimizar os impactos provocados com o alagamento na região. No comunicado, a secretaria informou que, logo após o ajuste de funcionamento das duas comportas, o alagamento das ruas começou a reduzir.

A Cedae realiza obras nas regiões afetadas pelo alagamento. “A prefeitura do Rio também cobrará protocolos de abertura das comportas aos técnicos da Cedae”. O plano de contingência da Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) e da Secretaria de Conservação foi acionado e funcionários realizaram serviços de limpeza após eliminação de todos os pontos de alagamento. A Secretaria de Conservação informou ainda que “realizou o serviço de limpeza de galerias da mesma que em outros anos. Cerca de 2 mil quilômetros foram revisados e passaram por limpeza”, acrescentou a nota.

Protocolo
A Rua Teixeira de Freitas, na Lapa, foi a mais prejudicada. A interdição por causa do alagamento durou quase todo o dia. As Pedro Américo e o Largo do Machado, no Catete, foram liberadas logo após a reabertura das comportas. O Ciep Presidente Tancredo Neves, na Glória, ficou fechado durante o dia, devido ao alagamento, já que impossibilitava as crianças de entrar na escola. Em nota, a Cedae respondeu que vai ter de revisar o protocolo de acionamento do sistema das comportas que atendem à região. Conforme o documento, as comportas do sistema da companhia que operam na região são dotadas de vertedouros, que, a princípio, realizam o escoamento da água da chuva. “Entretanto, foi necessário operar essas comportas de forma a acelerar o escoamento, o que demonstrou uma necessidade de revisão e aprimoramento do protocolo dos sistemas. A Cedae já providenciou essas ações, para evitar que fato semelhante volte a ocorrer”, concluiu o comunicado da companhia.

http://odia.ig.com.br/