quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Desemprego afeta mais os idosos, diz Ipea

Em termos de pontos percentuais, a taxa de variação do
desemprego mostrou alta de 0,37 ponto, no caso dos jovens, e 1,46 ponto para os mais velhos.


O DIA

Rio - A Carta de Conjuntura 32, divulgada na terça-feira pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), revela aceleração do desemprego no país. Comparando o segundo trimestre deste ano com o último trimestre de 2014, que foi o último período antes da piora registrada no mercado de trabalho, verifica-se que as perdas acumuladas na taxa de desemprego, em termos de pontos percentuais, são piores entre os jovens do que na faixa etária acima de 59 anos de idade. No entanto, segundo o coordenador da publicação do Ipea, José Ronaldo Souza Jr., a maior variação da taxa de desemprego foi entre os maiores de 59 anos, equivalente a 132% no período compreendido entre o último trimestre de 2014 e o segundo trimestre de 2016, enquanto entre os jovens, a perda alcançou 75,3%. O mesmo ocorre na comparação entre o primeiro e o segundo trimestre deste ano. “A maior piora é no grupo dos idosos, tanto em termos de taxa de variação, como em termos de pontos percentuais”, disse o coordenador.

Em termos de pontos percentuais, a taxa de variação do desemprego mostrou alta de 0,37 ponto, no caso dos jovens, e 1,46 ponto para os mais velhos. O índice de desemprego “mais do que dobrou, no caso dos mais velhos, e dos mais jovens não, mas a taxa dos mais jovens já era muito mais alta”, avaliou Souza Jr. A Carta do Ipea aponta que a alta foi provocada, principalmente, pela redução da população ocupada. 

http://odia.ig.com.br/