quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Sobe para 82 o número de ataques no RN

Autoridades potiguares registraram mais dois ataques na madrugada desta quarta-feira. Reforço das Forças Armadas à segurança começa hoje.


Por João Pedroso de Campos

Na quinta noite de violência no Rio Grande do Norte, as autoridades potiguares registraram mais dois ataques criminosos na madrugada desta quarta-feira. Com isso, a onda de violência no Estado já soma 82 ocorrências, em 29 cidades. Os crimes contra veículos e prédios públicos são, segundo o governo, uma reação de facções criminosas à instalação de bloqueadores de sinal de celular em presídios. Na terça-feira, veículos em quatro cidades do interior foram incendiados; em um deles, as chamas começaram em carros guardados em um pátio da Polícia Civil. Por decisão da Secretaria de Justiça, os aparelhos de bloqueio deverão passar a funcionar na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta, a maior do Estado, além das unidades Caicó e Mossoró. O início do funcionamento do equipamento no Presídio Estadual de Parnamirim teria desencadeado os ataques. Para combater a violência, o governo do Estado requisitou e o presidente em exercício, Michel Temer (PMDB), liberou a atuação de 1.200 militares das Forças Armadas no patrulhamento nas ruas da capital. Cerca de 500 deles já chegaram à cidade e começaram as atividades na tarde desta quarta-feira. Para acertar os detalhes da atuação das tropas, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, esteve em Natal durante a manhã em reunião com o governador Robinson Faria (PSD).

O número de presos com suspeita de ligação com as ocorrências chegou a 72 na terça-feira. A Polícia Civil prendeu três pessoas que estariam diretamente ligadas ao comando da facção que tem liderado os ataques. Daniel Silva de Carvalho é apontado como sendo o segundo membro mais importante do grupo. A segunda pessoa presa, Islênia de Abreu Lima, também é apontada como membro da cúpula da quadrilha. Um menor também foi apreendido. Segundo os investigadores, Carvalho seria o autor do primeiro ataque coordenado, que aconteceu na sexta-feira passada, contra um ônibus em Macaíba, na região metropolitana de Natal. O homem foi encontrado com queimaduras nos dois braços e confessou ter agido por ordem da facção.

Na segunda-feira, cinco presos apontados como lideranças de dentro das unidades prisionais já haviam sido transferidos para a penitenciária federal em Mossoró, a cerca de 280 quilômetros de distância da capital. Na terça-feira, as identidades deles foram divulgadas: Edson Cardoso Bezerra, Anderson Mendonça da Silva, Cosme Wendel Rodrigues Gomes, Alex Barros de Medeiros e Marcos Paulo Ferreira, conhecido como Cabeça do Acre, todos apontados como importantes figuras do tráfico de drogas no Estado.

(Com Estadão Conteúdo)
http://veja.abril.com.br/