sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Motéis são alternativas de preços mais em conta nos Jogos

Para o período da Olimpíada, é possível achar 
diárias a partir de R$ 150,00 com café da manhã.


MARTHA IMENES

Rio - Os turistas que acham as diárias de hotéis para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos estão caras — custo médio é de R$ 650,00 — encontram em motéis alternativas mais em conta para se hospedar na cidade. A maioria desses estabelecimentos reformou instalações para receber visitantes. Muitos promoveram cursos de capacitação de funcionários para aprimorar o atendimento. É possível encontrar diárias a partir de R$ 150,00 com café da manhã. No estado, há 300 motéis, sendo 182 na capital, informou Jesuíno Joaquim Aguieiras, diretor regional da Associação Brasileira de Motéis (ABMotéis). De acordo com ele, 90% dos quartos da rede hoteleira do Rio foram reservados pelo Comitê Olímpico para delegações e turistas estrangeiros, e 10% são reservados diretamente com clientes ou agências de viagem. Por isso, a associação aposta na oportunidade de os motéis acolherem os turistas, principalmente as unidades próximas de locais onde haverá competições. No Shelton, por exemplo, que fica no bairro do Campinho, Zona Norte, as diárias vão de R$ 150,00 a R$ 300,00. Há café da manhã, wi-fi, cama extra, armários e estacionamento.

Já no Corinto, em Vila Isabel, Zona Norte, os quartos estão praticamente completos para os eventos, informou a gerente de reservas, Christiane Kilesse. Das 92 unidades, 55 foram destinadas a turistas, incluindo famílias. O motel fez a experiência na Copa do Mundo e decidiu repetir na Olimpíada. Há dois anos, segundo a gerente, foi implantado um sistema de hotelaria, com a cobrança de diárias para atender a clientes corporativos e a agências de turismo, e decoração também foi alterada “para tirar aquela imagem de motel”. Os canais com filmes eróticos são bloqueados para famílias, por exemplo. Crianças até dez anos não pagam diárias. Os preços variam de R$ 450,00 para duas pessoas no quarto básico até R$ 1.700,00, na suíte presidencial.

O hóspede contará com serviços 24 horas, que incluem arrumação e restaurante. De acordo com a gerente, um dos principais atrativos é a proximidade com o Maracanã, onde ocorrerão as cerimônias de abertura e encerramento e os jogos de futebol masculino e feminino, e a facilidade de acesso a outras regiões. Outro motel que vai receber turistas é o Nosso Hotel, na Avenida Niemeyer, Zona Sul. A gerente Márcia Costa disse que os 43 quartos estão reformados e há camas dobráveis, o que permite alojar uma terceira pessoa.

Unidades passaram por adaptações
Desde o período anterior à Copa do Mundo em 2014, os motéis da cidade passam por processo de transformação para atender à demanda hoteleira do Rio. “Uma das principais medidas foi trocar o nome motel por hotel para acabar com o estigma de que o turista estaria se hospedando em um lugar de ‘entretenimento’”, explica Jesuíno Joaquim Aguieiras, diretor regional da Associação Brasileira de Motéis (ABMotéis). Outra mudança adotada pelos estabelecimentos foi a destinação de alguns andares para receber os hóspedes olímpicos. A entrada do cliente habitual é uma e a do turista é outra. Os andares também são diferenciados.

http://odia.ig.com.br/