terça-feira, 9 de agosto de 2016

Já classificadas, meninas do Brasil enfrentam a África do Sul

Vadão nega rivalidade com a Seleção masculina.


Brasil enfrenta a África do Sul nesta terça-feira.
O DIA

Amazonas - Vivendo um momento oposto ao da Seleção masculina, as meninas do futebol, já classificadas para as quartas de final, fazem às 22:00hs., contra a África do Sul, o último jogo da primeira fase da Olimpíada. Após duas partidas no Rio, a equipe do técnico Vadão entra em campo em Manaus e a expectativa é que o calor vindo da arquibancada seja o mesmo, levando em consideração que todos os 42.000 ingressos colocados à disposição foram vendidos com antecedência. As atuações convincentes, com chuva de gols, nas vitórias sobre China (3 a 0) e Suécia (5 a 1), colocaram o time de Marta & Cia em evidência — transformaram as jogadoras em queridinhas do Brasil. Apesar de ser praticamente impossível evitar a comparação entre o desempenho das meninas e dos meninos, Vadão tem receio desta situação colocar mais pressão em cima de suas comandadas. “Nós atuamos quando ninguém estava atuando, começamos, inclusive, antes da abertura. Dia 3, aquilo foi espontâneo e cativou. Passou em todos os canais. Não tinha nada para assistir e as pessoas se deram conta do futebol feminino. Essa comparação não é saudável. Dentro da CBF, somos um só. Não existe essa rivalidade”, disse o treinador brasileiro.

Com a vaga na próxima fase já assegurada, o técnico pretende poupar as atletas mais desgastadas. Cristiane, maior artilheira da história dos Jogos Olímpicos, com 14 gols, não enfrentará as sul-africanas. Sua sequência na competição, inclusive, é considerada incerta, em razão de uma lesão na coxa direita. A ressonância magnética a qual a atacante foi submetida na manhã de ontem detectou uma contusão leve. Outro exame será realizado nos próximos dias para saber se ela terá condições de se recuperar a tempo de participar de algum dos jogos da fase final. Debinha, que a substituiu no sábado, será titular no duelo de hoje contra a África do Sul.

ABATIMENTO NO ADEUS A BRASÍLIA
Depois de dois jogos com atuações pífias e nenhum gol marcado no Mané Garrincha, a Seleção masculina se despediu de Brasília na tarde de ontem. Cerca de 30 torcedores marcaram presença na entrada do hotel e, enquanto alguns pediram fotos e autógrafos para os jogadores, outros mostraram insatisfação com a equipe e chegaram a xingar o capitão Neymar. O camisa 10 sequer ouviu os protestos, por passar pelo local em que houve o contato utilizando fones de ouvido. Na chegada a Salvador, entretanto, o atacante do Barcelona foi recebido com carinho e muitos gritos pelas ‘Neymarzetes’, mas não parou para retribuir.

Na quarta-feira, o time dirigido por Rogério Micale encara a Dinamarca, líder do Grupo A, na Arena Fonte Nova. Para conseguir a classificação sem depender do resultado do confronto entre África do Sul e Iraque, o Brasil precisa de uma vitória simples. Por conta das atuações ruins, o técnico deve fazer mudanças no setor ofensivo, que ainda não conseguiu balançar a rede.

http://odia.ig.com.br/