sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Convenção do PSB termina sem apoio definido para prefeitura do Rio

Índio da Costa, Pedro Paulo e Marcelo Crivella são 
os candidatos que foram cogitados pelo partido.


Convenção do PSB ocorreu na quinta-feira na Associação Brasileira de Imprensa (ABI).
O DIA

Rio - A convenção municipal do Partido Socialista Brasileiro (PSB), que ocorreu na quinta-feira, na Associação Brasileira de Imprensa (ABI), terminou em confusão. Marcada para definir o apoio às candidaturas de Índio da Costa (PSD) ou de Pedro Paulo (PMDB), a sessão acabou sem uma decisão tomada, porque, de modo inesperado, sugeriram outra proposta: a de uma possível parceria com Marcelo Crivella (PRB). Em dois dos cenários possíveis — com Índio ou Crivella —, o PSB ficaria com o cargo de vice-prefeito. Índio da Costa esteve no encontro e convidou publicamente o presidente interino do PSB-RJ, Hugo Leal, para ser seu vice. No caso de Crivella, o cargo ficaria com o vice-presidente estadual do partido, Marcos San, responsável por sugerir a coligação com o senador do PRB. Contudo, o diretório municipal do PR anunciou, na tarde da quinta-feira, que irá compor a chapa de Crivella. Além disso, indicou o nome do engenheiro Fernando Mac Dowell ao cargo de vice prefeito. Segundo San, que também é chefe de gabinete do senador Romário, a atual direção interina estadual não se conformou com a nova proposta. Ele alega que cerca de 80% dos participantes da convenção teriam concordado, em debate, com a adesão ao bispo da Igreja Universal.

"Tem grandes chances de vencer, é ficha limpa e ajudaria a eleger vereadores do partido", explica. No entanto, a votação não chegou a ser feita. Isso porque, de acordo com San, os inconformados teriam aplicado um "golpe" ao desligar as luzes e o equipamento de som do auditório, sob o argumento de que o encontro já durava muito tempo. O dirigente do Diretório Nacional do partido Joilson Cardoso desmente as afirmações de San. Ele diz que, por se tratar de um edital da ABI, o horário deveria ser cumprido — e já tinha, inclusive, ultrapassado o limite de encerramento. Para Cardoso, a proposta de San é "intempestiva" por não cumprir a regra estatutária. "Não pode chegar com um papel no dia do nosso congresso e apresentar a proposta", diz. Ainda de acordo com Cardoso, o diretório nacional do PSB, comandado pelo presidente Carlos Siqueira, já havia se posicionado contrário à coligação com Crivella — inclusive em um eventual segundo turno.

O suporte dos socialistas passou a ser disputado após o senador Romário desistir da candidatura própria. Esta sexta-feira é o último dia que as siglas têm para realizar convenções e o PSB decidirá às pressas seu posicionamento. Os diretórios da sigla se reunirão a partir das 10:00hs., na sede da Praia do Flamengo, para votar o apoio, que instantaneamente será apreciado e aprovado pelos diretórios estadual e nacional.

Reportagem do estagiário Caio Sartori
http://odia.ig.com.br/