quinta-feira, 7 de julho de 2016

Wi-fi liberado na Praça Mauá é o novo legado olímpico.

Região agora tem quiosques de interação e até 
bueiros inteligentes que avisam de risco de cheias.


Gabriel Weber e Luana Viegas conseguiram acessar o wi-fi do Porto.
MARINA ROCHA

Rio - A região do Porto Maravilha, na Praça Mauá, agora tem sinal de wi-fi liberado. Essa é uma das muitas novidades que chegaram na quarta-feira na área. Quatro quiosques interativos espalhados pela região permitem que turistas e cariocas tenham acesso à programação da cidade, se informem sobre os serviços públicos e ainda tirem uma selfie. O Porto também passou a contar com 28 bueiros equipados com sensores volumétricos que vão diminuir as chances de enchentes. Eles vão avisar ao centro de controle quando as bocas de lobo precisarem de limpeza por lixo acumulado. Todo o projeto era um compromisso da Cisco com a cidade. A empresa norte-americana, patrocinadora da Olimpíada, deixará essa estrutura como legado para o Rio. Presidente da Cisco Brasil, Laercio Albuquerque espera que o modelo sirva de inspiração para outras cidades no país e no mundo. “Um exemplo de cidade inteligente e humana é aquela que possibilita a criação de serviços para o cidadão conectar-se com seu bairro, com o governo, com as diferentes comunidades e com a estrutura física da cidade”, disse ele.

Quem gostou da novidade foi a manicure Caroline Oliveira, de 26 anos. Ela aproveitou a passagem pela região para tirar uma foto com o filho, Gustavo de Souza. “Achei muito legal! Dá uma boa impressão da cidade”, disse. Os estudantes Gabriel Weber, 19, e Luana Viegas, 20, conseguiram acessar o wi-fi, mas não gostaram de ter o tempo de navegação limitado a duas horas e contaram que o sinal só pega se o aparelho estiver bem próximo a um quiosque interativo. A Cisco informou que na Praça Mauá realmente a internet sem fio só funciona nas proximidades do totem por conta do sistema que opera ali. Mas na área dos armazéns o sinal pega à distância. A contadora Letícia Ribeiro, 27, testou e aprovou: “Com certeza vai ser útil para muita gente”. A rede sem fio terá uma ferramenta que vai coletar informações do fluxo e da concentração de pessoas na região, o que servirá de base para dados demográficos e planejamento estratégico da cidade.

Na beca para as cerimônias
O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) apresentou na quarta-feira os uniformes que serão usados pela delegação brasileira nas cerimônias de abertura e de encerramento dos Jogos Olímpicos. Os atletas Ana Sátila (canoagem), Marcus D’Almeida (tiro com arco), Pedro Gonçalves (canoagem) e Aline Silva (luta olímpica) serviram de modelos durante a exibição no Parque Lage. As peças foram criadas pela estilista Lenny Niemeyer. Ela contou que foi um desafio criar um uniforme que atenda a atletas com diferentes estaturas e que será um prazer ver 1,6 mil atletas vestidos com sua roupa para 1 bilhão de espectadores.

O maior mural de grafite do Brasil
Em frente aos armazéns do Porto está surgindo uma grandiosa obra de arte. Depois de deixar sua assinatura em um painel que homenageia o Rio em Tóquio, o muralista paulista Eduardo Kobra desenhou uma arte que será grafitada em uma parede de 3 mil m². “É o maior mural do Brasil. Eu pelo menos não conheço outro maior”, contou o artista, orgulhoso. Oito grafiteiros começaram nesta quarta-feira o painel que deve ficar pronto em 20 dias. Kobra, que tem obras em mais de 10 países, comemora seu primeiro trabalho no Rio. Será uma arte sobre etnias, com rostos representando os cinco continentes. O mural faz parte das atrações do ‘Live Site’ que funcionará no Porto. É um espaço gratuito onde será possível assistir as disputas, como o Fifa Fan Fest da Copa.

http://odia.ig.com.br/