quinta-feira, 14 de julho de 2016

Morre aos 70 anos Hector Babenco

Cineasta argentino radicado no Brasil foi vítima de uma parada cardíaca. Ele dirigiu 'Pixote: A Lei do mais Fraco' e 'Carandiru'.


Cineasta Hector Babenco foi um dos maiores nomes do cinema nacional.
O DIA

Rio - O cineasta argentino radicado no Brasil Hector Babenco morreu na noite de quarta-feira, aos 70 anos, vítima de uma parada cardíaca, por volta das 23:00hs. Ele havia sido internado no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, para um procedimento cirúrgico e não resistiu. O corpo do cineasta será velado na sexta-feira, na Cinemateca, em São Paulo, até às 15:00hs. A cremação vai ocorrer em Itapecerica da Serra, no Horto da Paz. A obra de Babenco é uma das mais importantes do país. Em 1985, ele fez "O Beijo da Mulher-Aranha", pelo qual foi indicado ao Oscar de melhor diretor e rendeu prêmio de melhor ator para William Hurt. Na categoria de seus filmes mais populares está "Pixote: A Lei do mais Fraco" (1981), que conta a história de um menino paulistano pobre que se apaixona por uma prostituta vivida por Marília Pêra. "Carandiru" (2003) retratou o massacre no presídio paulistano que ganhou as páginas dos jornais foi seu maior sucesso.


Marília Pêra em 'Pixote', do diretor Hector Babenco, em 1980

Babenco já havia sofrido com câncer no sistema linfático e passado por sessões de quimioterapia. Isso foi o que o inspirou para o seu último filme: "Meu amigo Hindu" (2015), com Willem Dafoe, Maria Fernanda Cândido e Bárbara Paz. O cineasta foi casado por cerca de cinco anos, entre idas e vindas, com a atriz Bárbara Paz. Em setembro de 2015, antes do término do relacionamento, ela chegou a comentar que gostaria de ter um filho com ele.


Hector Babenco, Maria Fernanda Cândido, Bárbara Paz e Willen Dafoe.

Nas redes sociais, amigos lamentaram a morte do cineasta. "Ah Muito triste Obrigada querido gênio Hector Babenco por sua passagem mágica e extraordinária entre nós", disse a atriz Claudia Mello, pelo Facebook.

"Notícia triste. Babenco nos deixa." João Batista de Andrade, diretor do Memorial da América Latina, através do Facebook.

"Ele agora está brincando nos campos do senhor. RIP HECTOR Babenco", comentou Anna Muylaert, cineasta, pelo Facebook.

http://odia.ig.com.br/