sexta-feira, 1 de julho de 2016

Ex de Brunet diz lamentar 'versão distorcida' de 'episódio na intimidade'

Modelo afirma que foi agredida pelo empresário Lírio Parisotto. Em nota, ele diz que as circunstâncias serão esclarecidas na Justiça.


Kleber Tomaz e Vivian Reis*
Do G1 São Paulo

O empresário Lírio Albino Parisotto, de 62 anos, ex-namorado da modelo Luiza Brunet, divulgou nota nesta sexta-feira (1º) em que diz lamentar que "versões distorcidas" sobre uma suposta briga do casal tenham sido divulgadas como "única expressão da verdade". A modelo o acusou de agressão e disse que teve quatro costelas quebradas. "Venho a público lamentar que versões distorcidas sobre um episódio ocorrido na intimidade estejam sendo divulgadas como única expressão da verdade. Embora compreenda a natural repercussão do caso pelas pessoas envolvidas, tenho a convicção de que no momento e nas esferas legais apropriadas todas as circunstâncias serão plenamente esclarecidas", afirmou. Em sua conta do Instagram, Parisotto escreveu: "Amigos, peço um pouco de paciência a respeito de algumas informações que estão circulando nas diversas mídias. Nunca na vida agredi homem, muito menos mulher que respeito muito, quem me conhece sabe. Isto não me tira o direito de me defender de tentativas de agressão através de tapas, chutes, mordidas, unhadas etc. Tento me defender através da imobilização. Se o caso for para a justiça será lá que será esclarecida a verdade. Muita paz as pessoas do Bem. Por fim este é um canal de comunicação com pessoas de que aceitei me seguirem. Agradeço a compreensão. É a vida segue". O post foi reproduzido pelo site Ego.

Maria da Penha
Parisotto será citado na Justiça de São Paulo para responder a uma ação criminal baseada na Lei Maria da Penha sob a acusação de ter agredido Brunet, de 54 anos, no último dia 21 de maio nos Estados Unidos. A informação é do advogado da atriz e modelo, Pedro Egberto da Fonseca Neto. "Ele [Parisotto] vai ser citado para responder aos termos de uma ação criminal baseada na Lei Maria da Penha", disse Fonseca Neto, na manhã desta sexta-feira (1º) ao G1. Sancionada em 7 de agosto de 2006, a Lei Maria da Penha visa o combate aos crimes domésticos contra a mulher, criando mecanismos de proteção para coibir a violência e punir homens que agridam física ou psicologicamente suas parceiras. De acordo com o advogado de Luiza, o caso será apurado pela Promotoria da Vara da Violência Doméstica do Ministério Público (MP) de São Paulo, porque Parisotto tem casa no estado. "O processo está em segredo de Justiça", disse Fonseca Neto, que atua com o advogado Jaques de Camargo Penteado nos interesses de Luiza. "Ela [Luiza] está serena e tranquila", disse o advogado. "Viu que tinha que tomar as medidas que tomou para preservar os direitos dela e mostrar para outras mulheres que são vítimas de violência doméstica que elas não podem se calar". O G1 entrou em contato com o Ministério Público para comentar o assunto, mas até a última atualização da matéria não tinha recebido retorno.


Luiza Brunet apoia causa do Instituto Avon contra a violência 
doméstica em sua página no Facebook, dias depois de suposta agressão.

Quem é Lírio Albino Parisotto
Com uma fortuna avaliada em US$ 1.100.000.000,00, ele é a 28ª pessoa mais rica do Brasil, de acordo com o ranking da Revista Forbes. Ainda segundo a publicação norte-americana, o empresário construiu grande parte da fortuna no mercado de ações brasileiro. No mundo, ele ocupa a 1.557ª colocação no ranking. O empresário atua em vários setores, como o de petroquímica e de mídia. E recentemente comprou com outros investidores o Grupo RBS de Santa Catarina, afiliada da TV Globo no estado. Parisotto também é segundo suplente do senador Eduardo Braga (PMDB-AM). Procurada pela TV Globo, Luiza Brunet não quis gravar entrevista.

Relato da modelo
A informação de que Luiza apanhou do empresário foi divulgada nesta sexta-feira (1º) pela coluna do jornalista Ancelmo Gois, de "O Globo". O G1 confirmou a acusação com a assessoria da atriz. “Tudo o que tinha de ser dito, ela [Luiza] disse na coluna do Anselmo Gois”, respondeu o advogado da artista ao ser indagado se ela poderia falar com a equipe de reportagem sobre o caso. De acordo com a coluna, Luiza contou ter sido agredida, tendo inclusive as costelas quebradas pelo então companheiro após eles jantarem com amigos em um restaurante em Nova York. Segundo o relato dela, o casal saiu do estabelecimento e foi ao apartamento dele, onde o homem deu um soco na atriz, seguido de chutes. Luiza informou à coluna que Parisotto a derrubou no sofá e a imobilizou até quebrar quatro costelas dela. Ela conseguiu se trancar no quarto e, no dia seguinte, foi para o Brasil.

De acordo com uma assessora, a artista desembarcou no Rio de Janeiro e, após conversar com uma amiga, viajou a São Paulo, onde prestou queixa no MP. A modelo ainda realizou exame de corpo de delito no Instituto Médico-Legal (IML), mas não registrou boletim de ocorrência na Polícia Civil, segundo seu advogado.

Em sua página no Facebook, a modelo postou em 25 de maio, quatro dias após o incidente, uma foto com parte do rosto coberto pelos cabelos e uma frase: "A maquiagem forte esconde o hematoma da alma". Luiza é embaixadora do Instituto Avon, que faz campanha contra a violência doméstica. Após o episódio, a atriz se separou dele, com quem tinha uma união estável, segundo a assessoria de Luiza.


*Colaboraram Will Soares e Paulo Toledo Piza
http://g1.globo.com/