quinta-feira, 7 de julho de 2016

Criança que segurou granada no Chapadão tem braço direito amputado

Artefato explodiu na mão de menino de 
três anos, na manhã desta quarta-feira.


DIEGO VALDEVINO

Rio - Uma criança de 3 anos perdeu o braço ao segurar uma granada que achou no Complexo do Chapadão, em Costa Barros, onde mora com os avós. O acidente aconteceu no fim da manhã de quarta-feira. Ele teve o braço direito amputado horas depois ao passar por cirurgia no Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier. De acordo com os policiais do 3º BPM (Méier), Luiz Rodrigo Costa Santana, teria levado o artefato para a sua casa, na Rua Chico Nunes, e ao tentar se desfazer da granada, ela explodiu em sua mão. Já familiares informaram que a explosão aconteceu fora de casa. As primeiras informações confirmavam que ele teria perdido a mão por causa dos estilhaços. Inicialmente, a criança foi levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Costa Barros, mas depois Luiz foi encaminhado para o Salgado Filho.

Ele chegou ao local com a sua avó, Odinéia Costa, às 13:07hs., sentindo falta de ar e lúcido. Um funcionário do hospital que não quis se identificar e estava na recepção se assustou com o estado criança. “Parecia que não sabia a dimensão do problema. Olhava para o alto e nunca para os braços. Me disse que estava sem dor. Estava sujo de sangue na roupa. É uma pena ver uma situação desta, de uma criança perder a mão por causa de uma granada”, lembrou. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o estado de saúde do menino é estável, mas não há previsão de alta. Ele passou por uma cirurgia que levou mais de uma hora.

Avô do menino, João Batista Machado, de 56 anos, contou que estava em casa com a mulher, enquanto o neto brincava com o irmão do lado de fora da residência quando ouviu um estrondo. “Quando saímos de casa, encontramos ele sangrando, sem a mão. Foi um susto grande. Pensei que ele tivesse morrido”, lembrou o avô, acrescentando que ele ficou em casa com os outros seis netos enquanto a sua mulher socorria Luiz. João não soube informar em qual trecho da rua o menino encontrou a granada. “O artefato deve ser caseiro, se não a tragédia poderia ser maior”, avisou um policial militar do Salgado Filho que não quis se identificar.

Faixas de Gaza do estado
Policiais da 39ª DP (Pavuna) vão investigar a origem da granada e o local onde ela foi encontrada no Complexo do Chapadão, que trava uma guerra pelo ponto do tráfico de drogas com a Favela da Pedreira, também em Costa Barros. As duas comunidades rivais ficam próximas, e são consideradas, ao lado do Complexo do Alemão e da Maré, como as Faixas de Gaza do Rio. Os dois locais são considerados ainda as duas localidades que mais registram roubos de cargas no estado. A guerra ficou mais acirrada quando o traficante Celso Pinheiro Pimenta, o Playboy (morto em 2015), assumiu a Pedreira.

http://odia.ig.com.br/