segunda-feira, 13 de junho de 2016

Tiroteio em favelas deixa homem morto e mais de 600 crianças sem aula

Conflitos aconteceram no Viradouro, em Niterói, e também nas comunidades do Jacarezinho e dos complexos do Chapadão e da Penha, na Zona Norte do Rio, nesta segunda-feira.


O DIA

Rio - Moradores do Viradouro, em Niterói, Região Metropolitana do Rio, e também das comunidades do Jacarezinho e dos complexos da Penha e do Chapadão, na Zona Norte da cidade, sofreram com tiroteios, na manhã e início da tarde desta segunda-feira. Com os confrontos, um homem morreu, 620 alunos ficaram sem aula e o comércio não pôde abrir. Atingido por um tiro no Chapadão, em Costa Barros, um homem que teria envolvimento com o tráfico de drogas local morreu antes mesmo de chegar ao Hospital Carlos Chagas, em Marechal Hermes, unidade para onde foi encaminhado pelos agentes do 41º BPM (Rocha Miranda). Com o homem, que não teve a identidade divulgada, os policiais apreenderam uma pistola, munições, um rádio transmissor e drogas. Os agentes foram recebidos a tiros quando chegaram ao conjunto e revidaram, dando início ao confronto.

Ainda nesta manhã, na Zona Norte, 620 alunos de três creches e um Espaço de Desenvolvimento Infantil (EDI) ficaram sem aula na região do Jacarezinho. Agentes da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) local realizaram uma operação, com apoio da Unidade de Engenharia, Demolição e Transporte (UEDT), do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), além de equipes de outras UPPs e do Grupamento de Intervenções Táticas (GIT) das UPPs. A ação teve o objetivo de retirar barricadas montadas pelo tráfico de drogas. Não há informações sobre feridos na ação. Um homem foi preso e uma pistola calibre 9mm apreendida.

No Complexo da Penha, também na Zona Norte do Rio, o comércio não pôde abrir as postas nesta manhã. Com o som do tiroteio que ocorria próximo de sua casa, uma moradora gravou um vídeo, que foi compartilhado na página "Vila Cruzeiro - R.J.", no Facebook. "E assim, entre tiros e bombas, começamos mais um dia no Complexo da Penha. Uma guerra que não tem fim. Ninguém sabe como começou, ninguém sabe quando vai acabar. Crianças sem aulas, trabalhadores sem poder sair de casa e os inocentes no meio dessa guerra. Não se sabe até quando. Vamos torcer para que nenhum inocente saia perdendo nessa guerra", disse a moradora na filmagem.

Segundo informou o comando da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Parque Proletário, pouco antes das 08:00hs., policiais da unidade foram atacados por criminosos armados durante patrulhamento na Rua 14. Houve confronto e, até o momento, não há informações sobre feridos. O policiamento foi reforçado por equipes de outras UPPs da região. Buscas foram realizadas na tentativa de localizar os autores dos disparos. Quem também sofreu com tiroteios nesta segunda-feira foram os moradores do Complexo do Viradouro, em Niterói. No Twitter, um homem, identificado como Rodrigo Oliveira (@rocruzo) postou um vídeo do tiroteio na região. "Tiros na Mário Vianna, região da Garganta", escreveu.

http://odia.ig.com.br/