quinta-feira, 2 de junho de 2016

Pedro Corrêa fala em compra de votos no governo de FHC

Delator cita propina para aprovação da emenda da reeleição.


O delator Pedro Correa
O DIA

Curitiba - Preso na Operação Lava Jato, o ex-deputado federal Pedro Corrêa (PE) revelou, em depoimento de delação premiada, a compra de votos para aprovar a emenda da reeleição, durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), em 1997. A informação é do jornal ‘O Estado de S. Paulo’. Segundo Corrêa, que foi presidente do PP e líder do partido na Câmara, a aprovação da emenda foi “um dos momentos mais espúrios” que presenciou durante sua carreira política. Em um dos trechos da delação, Corrêa relatou que o então ministro das Comunicações Sérgio Mota liderou o esforço pela aprovação da emenda, junto com o então presidente da Câmara Luís Eduardo Magalhães. Também teria participado da articulação o atual líder do DEM na Câmara, deputado Pauderney Avelino (DEM-AM), que negou a acusação em nota.

De acordo com Corrêa, deputados receberam até R$ 200.000,00 para votar a favor da reeleição. Ele afirmou que liderou um movimento contrário: pagar propina a parlamentares para que votassem contra a proposta. E disse que contou com a ajuda do deputado Paulo Maluf (PP-SP), na época recém-saído da Prefeitura de São Paulo, para bancar a propina. Maluf não quis comentar a acusação. O delator também citou que o empresário Olavo Setubal, do banco Itaú, teria dado apoio financeiro no Congresso. Em nota, Fernando Henrique afirmou que Corrêa “apenas repete o que foi veiculado na época”, e que já registrou sua “pronta repulsa” sobre o episódio no seu livro de memórias.

http://odia.ig.com.br/