terça-feira, 28 de junho de 2016

Paes passa por cirurgia para extração de cálculo renal

Prefeito do Rio sentiu dores no fim de semana e tomografia confirmou existência do cálculo. Paes tem histórico de crises.


O decreto com a decisão do prefeito Eduardo Paes será publicado no Diário Oficial 
nos próximos dias e vale para os funcionários das administrações Direta e Indireta.
O DIA

Rio - O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, foi submetido a um procedimento cirúrgico em função de um cálculo renal na noite de segunda-feira, no Hospital Samaritano, em Botafogo, Zona Sul do Rio. A intervenção foi bem sucedida e o prefeito permanece internado, sem previsão de alta, segundo a unidade de saúde. Paes foi internado no início da tarde de segunda-feira. A pedra nos rins do chefe do Executivo municipal fez com que fossem cancelados todos os compromissos de sua agenda para a tarde de segunda e terça-feira. De acordo com assessores, Paes sentiu dores no fim de semana e, após exame de tomografia realizado nesta manhã, no Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, foi detectada a existência do cálculo. O prefeito enfrentou a mesma situação em agosto de 2010. A previsão de Paulo Rodrigues, conforme a assessoria, é de que o prefeito iria dormir no hospital, mas que deveria ter alta hoje. À noite, especulava-se que a cirurgia para a eliminação do cálculo seria a laser, uma vez que, ainda segundo assessores, “o procedimento não levaria pontos”. Nesse tipo de operação, utilizada para eliminar pedras com menos de 15 milímetros por meio da introdução de um pequeno tubo desde a uretra até o rim, a pedra é quebrada com laser em pequenos pedaços, que podem ser eliminados na urina.

Por conta da internação de Paes, curiosamente, os cariocas ficaram na segunda-feira sem seus representantes eleitos para prefeitura, governo estadual e Presidência da República, já que Luiz Fernando Pezão e Dilma Rousseff também estão afastados. O primeiro para tratamento de um câncer — sendo substituído pelo vice Francisco Dornelles — e a presidente, devido ao processo de impeachment. Ao saber da internação de Paes, Pezão, que passa por ciclos de quimioterapia, não perdeu o bom humor, uma de suas características: “É...A vida não está fácil não”, disse ao DIA

Churrasco e o calor do Rio contribuem
O chefe do Serviço de Nefrologia do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF), Eduardo Rocha, alerta que cálculo renal é uma das doenças que mais acometem os cariocas por conta de dois fatores: o alto consumo de churrasco e o forte calor que a cidade enfrenta na maior parte do ano. “O consumo exagerado de proteína animal, como carne de vaca, por exemplo, e sal, e a grande perda de sódio, eliminado no suor e não reposto, provocam a formação de cristais, que se concentram no aparelho urinário”, justifica Rocha.

Foto: Arte O Dia.

Geralmente quem diagnostica o cálculo renal é o nefrologista. O urologista faz a cirurgia. “Quem tem fatores de risco, como histórico familiar, obesidade e alto consumo de álcool, deveria passar por exames pelo menos uma vez ao ano. Infelizmente, porém, a maior parte das pessoas só procura o médico na crise de dor”, comentou o especialista.

http://odia.ig.com.br/