sábado, 14 de maio de 2016

Mãe de adolescente morta no Morro do Juramento: 'Minha vida acabou'

Moradora de Magé, a jovem Miriam Martins dos Santos 
Miguel, de 14 anos, saiu de casa para morar com traficante 
do Morro do Juramento há duas semanas.


Miriam Martins dos Santos Miguel morreu 
após ser baleada no Morro do Juramento.
MARLOS BITTENCOURT

Rio - Foi identificada como Miriam Martins dos Santos Miguel a adolescente de 14 anos que morreu baleada, na noite da quinta-feira, no Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, Zona Norte da cidade. O corpo da jovem foi reconhecido pela mãe, a empregada doméstica Michele da Conceição Gomes Martins, de 30 anos, no Hospital Getúlio Vargas, na Penha. Ao DIA, a mulher contou que mora no Suruí, em Magé, na Baixada Fluminense, e que a filha fugiu de casa há duas semanas. De acordo com Michele, a filha enviou uma foto para ela através do WhatsApp na quarta-feira. Na imagem, a jovem aparecia ao lado de um rapaz segurando um fuzil 762. Segundo a mãe, no texto, a menina avisava que estava morando no Juramento com um rapaz da boca-de-fumo e contava que estava muito feliz. Michele revelou que sua filha conheceu o garoto pelo Facebook. "Tentei buscá-la no Juramento, mas não consegui concluir o plano de resgate. Ela andava muito rebelde, mas não sei por quê. Liguei para o número do WhatsApp que ela usou para fazer contato, mas não consegui falar com ela. Minha vida acabou", desabafou. Michele contou que, após ficar sabendo do confronto pelo patrão, foi ao Juramento, pois sabia que a filha estava lá, mas que na favela disseram apenas que a menina havia sido encaminhada para o Getúlio Vargas. Ela só soube que Miriam era a vítima quando chegou ao hospital.


'Tentei buscá-la no Juramento, mas não consegui', diz mãe de 
jovem morta em confronto na favela de Vicente de Carvalho.
GUERRA ENTRE FACÇÕES
Na noite da quinta-feira, segundo moradores, traficantes da facção criminosa Comando Vermelho (CV) tentaram retomar o controle do Morro do Juramento, dominado pela facção rival, a Amigo dos Amigos (ADA). Uma intensa troca de tiros foi registrada. No confronto, além da adolescente, outro homem, de aproximadamente 50 anos, teria morrido. Ele teria sido atingido por um tiro dentro de uma Kombi. Sua identificação ainda não foi divulgada. Outro jovem, também de 14 anos, foi baleado ontem à noite. Encaminhado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Irajá, ele não correria risco de morte.


Empregada doméstica, Michele da Conceição Gomes 
Martins carrega o nome da filha nas costas.

Durante o tiroteio, uma composição do metrô que trafegava pela Linha 2 teria sido atingida por um tiro. A bala teria acertado a janela do trem que seguia em direção à Pavuna, por volta das 19:30hs. Assustados, usuários deitaram no chão da composição para se proteger de possíveis balas perdidas. A concessionária responsável pelo serviço, no entanto, não admite que o trem foi baleado. Segundo o MetrôRio, o trem teve uma janela atingida por uma pedrada, o que teria causado pânico entre os passageiros. A composição foi retirada de circulação para manutenção e ninguém ficou ferido. De acordo com a Polícia Militar, ainda ontem à noite, o 41º BPM (Irajá) tomou conhecimento pelo plantão policial do Hospital Getúlio Vargas do falecimento da jovem após confronto no Juramento. O batalhão reforçou o policiamento na região na madrugada. Suspeitos armados em um carro atiraram contra uma viatura da corporação e houve confronto. Na fuga, os suspeitos deixaram um fuzil, um carregador e munições. Outra equipe do batalhão encontrou três suspeitos com um fuzil, uma pistola, carregador e munições. Eles foram encaminhados para a Central de Garantias Norte, na Cidade da Polícia, onde a ocorrência foi registrada. Ainda de acordo com a Polícia Militar, desde a manhã desde o início da manhã desta sexta-feira, o 41º BPM realiza uma operação no Juramento. Ainda não há balanço.

10 MIL ALUNOS SEM AULA
A guerra no Juramento deixou alunos da região sem aula. De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, a 5ª Coordenadoria Regional de Educação informou que três escolas, quatro creches e um Espaço de Desenvolvimento Infantil (EDI) estão sem atendimento nas regiões do Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, e da favela Faz Quem Quer, em Rocha Miranda. Juntas, as oito unidades atendem a 1411 alunos no turno da manhã. Em nota, a secretaria disse que o conteúdo perdido será reposto. Na rede estadual de Educação, as unidades escolares funcionam sem problemas nesta manhã.

http://odia.ig.com.br/