terça-feira, 19 de abril de 2016

Mãe de menina torturada no Morro dos Macacos suspeita do pai da adolescente

Homem seria esquizofrênico e alcoólatra. Menina 
foi espancada, amordaçada e morreu no hospital.


Aluna do oitavo ano, Ana Beatriz 
sonhava em morar na Inglaterra.
O DIA

Rio - A doméstica Soraya Silva Oliveira, de 45 anos, mãe de Ana Beatriz Andrade, 14, encontrada morta em casa, no Morro dos Macacos, com sinais de tortura, revelou que um dos suspeitos é Orivelton Andrade, 67, pai da adolescente. Ele teria sido visto por um vizinho, rondando a comunidade no dia do crime. “O pai dela é esquizofrênico, bebe muito e é violento, já esteve internado várias vezes”, disse a mãe, amparada por uma amiga. Ela passou toda a manhã de ontem no cartório, funerária e IML para liberar o corpo. A adolescente será enterrada hoje, às 11:00hs., no Cemitério do Catumbi, na Zona Norte.

De acordo com Soraya, médicos do Hospital Federal do Andaraí, na Zona Norte, para onde Ana Beatriz foi levada ainda com vida, disseram a ela que a menina não sofreu violência sexual como chegou a ser divulgado. Delegada adjunta da Delegacia de Homicídios, Marcela Ortiz divulgou, por meio de nota, que não vai dar informações sobre o caso para não atrapalhar o andamento das investigações. O DIA tentou contato com Orivelton, durante todo o dia de ontem, mas o telefone dele estava desligado. Soraya disse que jamais deixava a menina sozinha. Aluna do oitavo ano do Ensino Fundamental, Ana Beatriz estudava de manhã e, à tarde, ia para o trabalho da mãe. À noite, seguia para o Colégio Pedro II, no Engenho Novo, onde aguardava Soraya, aluna do curso de informática.

“Eu ia fazer faculdade de psicologia e a minha filha queria estudar na Inglaterra”, diz, aos prantos. Aos 10 anos, Ana Beatriz ganhou uma bolsa num colégio particular, em Vila Isabel. Ela fazia parte do projeto Morada da Esperança, que acolhe meninas de família com baixa renda.

Reportagem de Marlos Bittencourt
http://odia.ig.com.br/