segunda-feira, 18 de abril de 2016

Datafolha: manifestantes pró e contra Dilma rejeitam Michel Temer

Manifestantes também são contra permanência 
de Eduardo Cunha na Câmara dos Deputados.
Jornal do Brasil

Pesquisa Datafolha feita com manifestantes pró e contra o processo de impeachment da presidente Dilma aponta que a rejeição ao vice Michel Temer (PMDB) é maioria nos dois grupos. Os participantes dos atos deste domingo (17) em São Paulo também são contra a permanência de Eduardo Cunha (PMDB), réu no STF, na presidência da Câmara. Entre os que estavam na Paulista a favor do impeachment de Dilma, 54% dos entrevistados se disseram favoráveis a um processo de impedimento também contra Michel Temer, que assume a Presidência se o processo aprovado neste domingo na Câmara for confirmado no Senado.

Quanto à expectativa sobre um eventual governo Temer, a maioria (68%) acredita que a gestão seria regular ou ruim/péssima. Sobre Eduardo Cunha, 87% declararam apoio ao afastamento do parlamentar peemedebista. Já entre os que estavam no Vale do Anhangabaú (centro de São Paulo) para protestar contra o impeachment, 79% defendem que Temer também seja afastado e 88% entendem que o governo dele será ruim ou péssimo. Em relação a Eduardo Cunha, 94% disseram ser favoráveis ao afastamento do deputado federal. Outra pesquisa do Datafolha feita em março, entre a população brasileira geral, apontava que 35% entendem que um governo do peemedebista seria ruim/péssimo e outros 35% preveem que seria regular.

O Datafolha ouviu 1.147 pessoas no Anhangabaú e 2.078 pessoas na região da avenida Paulista entre 15:00hs., e 22:00hs. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos, na pesquisa feita com os movimentos favoráveis a Dilma e de dois pontos percentuais no protesto contra a presidente Sobre o afastamento de Dilma, 77% dos manifestantes no Anhangabaú se mostraram céticos sobre a saída dela do cargo, e na avenida Paulista 94% creem que ela deixará o cargo. Para o Datafolha, a exemplo de grandes protestos anteriores, tanto na Paulista quanto no Anhangabaú, o perfil dos manifestantes se manteve elitizado. Na manifestação pelo impeachment, 31% disseram ter renda superior a dez salários mínimos, enquanto na população do município o índice é de 11%. No ato favorável à presidente, 61% declararam que possuem curso superior -- na cidade de São Paulo o índice é de 28%.

http://www.jb.com.br/