terça-feira, 19 de abril de 2016

Caso assuma governo, Michel Temer quer diminuir número de ministérios

Senado decidirá se aprova a abertura de processo 
de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff.


Michel Temer quer máquina mais enxuta
O DIA

Brasília - O futuro presidente Michel Temer está decidido a reduzir de 32 para 17 o número de ministérios de seu governo. Será o primeiro anúncio de grande impacto que ele pretende fazer, caso o Senado decida aprovar a abertura de processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. Essa decisão deverá ocorrer até o dia 10 de maio. Na segunda-feira, Temer deixou Brasília e foi para São Paulo, onde se encontrou com o ex-ministro Moreira Franco (PMDB-RJ) e com Thomas Traumann, ex-porta voz de Dilma Rousseff. Os dois são ex-ministros de Dilma, respectivamente da Aviação Civil e da secretaria de Comunicação Social. O processo de impeachment ainda precisa ser aceito pelo Senado. Mas como a maioria dos senadores é favorável ao afastamento, Temer descarta a possibilidade de haver surpresas. Ele dá como certo que o Senado aceitará a ação pelo impedimento da presidente.

Tão logo isso ocorra, Temer quer fazer um anúncio de impacto para o Ministério da Fazenda. Ele procura alguém que tenha boa aceitação no mercado, capaz de devolver a credibilidade ao governo e de trabalhar pelo equilíbrio das contas públicas. Por enquanto, Temer tem insistido no convite ao ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga. Mas este tem dito que deseja colaborar sem ficar à frente da Fazenda. Outro nome cogitado por Temer para a Fazenda é o do também ex-presidente do BC Henrique Meirelles. Um possível governo de Temer é, no entanto, rejeitado por manifestantes favoráveis e contrários ao impeachment. Pesquisa do Datafolha apontou que 54% dos entrevistados na avenida Paulista, onde no domingo os anti-Dilma se reuniram, disseram ser favoráveis ao impeachment de Temer.

http://odia.ig.com.br/