quarta-feira, 27 de abril de 2016

5,4 minutos – esse é o tempo médio do sexo nas relações estáveis


Um estudo realizado com 500 casais mostrou que um fator que influencia na média de duração de uma relação sexual é a idade do parceiro: homens de 18 a 30 anos tiveram, em média, penetrações de 6,5 minutos. Já naqueles com mais de 51 anos, esse tempo caiu para 4,3 minutos.

O estudo mais confiável sobre o assunto mostrou que entre casais estáveis e heterossexuais, o tempo de uma relação sexual pode variar entre 33 segundos e 44 minutos. Quanto mais velho for o homem, mais rápido é o sexo. A duração "normal" de uma relação sexual é um assunto que indaga muitas pessoas, inclusive cientistas. Em busca de uma resposta para a questão, o psicólogo Brendan Zietsch, da Universidade de Queensland, na Austrália, analisou os estudos mais recentes sobre o assunto e concluiu que o tempo médio de uma relação, da penetração até a ejaculação, é de 5,4 minutos.

De acordo com Zietsch, em um artigo publicado no The Conversation, site independente com conteúdo de cunho científico ou acadêmico, o estudo mais confiável sobre o assunto pediu que 500 casais, de cinco países cronometrassem, durante um mês, o tempo da relação. A contagem deveria começar no momento da penetração e terminar na ejaculação. Os resultados confirmaram o que já se sabia: não existe tempo ideal para uma relação sexual. Isso porque, o tempo médio para cada casal variou de 33 segundos a 44 minutos - uma diferença de 80 vezes!

Devido a essa enorme variação, não foi possível tirar a média, então os pesquisadores utilizaram a mediana - índice em que o número maior de casais concentrou as respostas -, que foi 5,4 minutos. O estudo também concluiu que o uso de preservativo não afetou o tempo da relação.

O país de origem dos casais também não alterou a duração do sexo. Exceto aqueles provenientes da Turquia, que mantinham relações mais curtas: 3,7 minutos, em média. O único fator que pareceu afetar o tempo da relação sexual foi a idade do parceiro: homens de 18 a 30 anos tiveram, em média, penetrações de 6,5 minutos. Já naqueles com mais de 51 anos, esse tempo caiu para 4,3 minutos. Embora o tempo médio possa parecer pouco, Zietsch afirma que, do ponto de vista biológico, as relações sexuais humanas são muito longas. Afinal, sob ponto de vista evolutivo, a única finalidade do sexo é a reprodução. Em tese, bastaria uma penetração rápida seguida da ejaculação -- para a biologia estaria tudo resolvido...

(Da redação)
http://veja.abril.com.br/