quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Relatório revela expressivo aumento da violência na Ladeira dos Tabajaras

Número de pessoas detidas em comunidade pacificada há seis anos em Copacabana, Zona Sul da cidade, passou de 86, em 2014, para 152, em 2015, um salto de 76,7%.


Homens armados na Ladeira dos Tabajaras
TIAGO FREDERICO

Rio - Um relatório da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Tabajaras ao qual O DIA teve acesso nesta terça-feira mostra impressionantes números que comprovam aumento da violência na favela pacificada há seis anos. Entre 2014 e 2015, o número de pessoas detidas passou de 86 para 152, um salto de 76,7%. A apreensão de armas foi de 3 para 35, o que representa um crescimento de 1.066,66%. Impressionante ainda é o número de disparos realizados, que passou de nenhum para 259 tiros. A comunidade fica em Copacabana, Zona Sul da cidade. Os números conservam com o cotidiano da favela, marcado por episódios de confronto. Nas muitas imagens feitas pelo serviço de inteligência da UPP, às quais a reportagem teve acesso, bandidos aparecem circulando em diversos partes do Tabajaras. A comunidade antigamente era classificada com a bandeira verde pelo Governo do Estado, ou seja, apresentava risco mínimo de violência, pois o processo de pacificação era considerado "estável" ou "consolidado", mas a situação se inverteu nos últimos dois anos. Em dezembro de 2014, um traficante expulso tentou retornar à Ladeira dos Tabajaras. Desde então, criminosos passaram a ser vistos armados em plena luz do dia.

"Os policiais não podem passar das bases atualmente e as bocas de fumo, que eram volantes, se tornaram fixas", revelou um policial, que preferiu não se identificar. Segundo ele, são três os pontos de venda de drogas mais lucrativos: Escadaria da Santa Clara (acesso na saída do Túnel Velho, em Copacabana), Escadaria 496 (ou Ninho das Cobras, na Rua Euclides da Rocha, em Copacabana) e Cocheira (Rua Aníbal Reis, Botafogo).

Vídeo: Criminosos exibem armas em favela pacificada.




Ainda segundo o policial, a UPP que deveria ter 180 policiais conta hoje somente com 126. Ele revela que o efetivo sofreu variações nos últimos anos. Enquanto em outubro de 2014, eram 127 militares. No mesmo mês do ano seguinte, este número passou para 136. Quanto ao efetivo do tráfico, ele afirma não ser possível contabilizar. "Eles recebem apoio do Fallet Fogueteiro, por isso não tem um numero exato". Contudo, os líderes locais são conhecidos. Quatro gerentes atuam na comunidade que tem um chefe. Para melhorar a segurança na favela, o policial sugere: "Melhorar o armamento e o número de agentes. Hoje temos cinco fuzis. Destes, somente dois funcionam", diz. A reportagem aguarda resposta da assessoria de imprensa da UPP Tabajaras sobre as denúncias.

Operação do Bope tem um ferido
Policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) realizaram operação para reprimir o tráfico na Ladeira dos Tabajaras na manhã desta quarta-feira. Ainda não há informações sobre prisões. Durante o patrulhamento, agentes entraram em confronto com bandidos armados e um suspeito ficou ferido. Ele foi levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, e não há informações do seu estado de saúde. Segundo os policiais, uma submetralhadora foi apreendida com o homem. A ocorrência será registrada na 12ª DP (Copacabana).


Menor ostenta fuzil na Ladeira dos Tabajaras


Homens armados na Ladeira dos Tabajaras


Submetralhadora é apreendida em operação do Bope na Ladeira dos Tabajaras

http://odia.ig.com.br/