quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Alerta do BC norte-americano reforça temor de crise econômica mundial


Jornal do Brasil

A presidente do Fed, banco central norte-americano, Janet Yellen, demonstrou preocupação com o cenário da economia mundial. Ela afirmou que as condições financeiras da China, a segunda maior potência econômica, podem prejudicar o ritmo de crescimento dos EUA. Em depoimento ao Congresso dos Estados Unidos, Yellen alertou que a queda nas bolsas mundiais deve tornar mais lento o processo de alta dos juros americanos. A declaração acentua as suspeitas de crise nos mercados globais.

A turbulência nas bolsas globais se agravou com a queda do preço do petróleo, motivado, principalmente, pela sobreoferta, e com a desvalorização das ações de grandes bancos, como o alemão Deutsche Bank. Yellen afirmou que torna-se cada vez mais improvável o aumento na taxa de juros no curto prazo, o que deve prejudicar ainda mais o equilíbrio financeiro dos bancos. Como o JB já havia destacado, os bancos estão começando a perceber que não são tão sólidos como se imaginava. Antes mesmo, em janeiro, o JB alertava para a crise global. A próxima reunião do Fed, nos dias 15 e 16 de março, vai rediscutir a taxa de juros. Yellen não recuou em relação ao aumento gradual, que deve ocorrer ao longo do ano.

Perigo de recessão
Os mercados mundiais perderam cerca de US$ 12.000.000.000.000,00 em valor de mercado desde o início do ano. Especialistas estão preocupados com o risco de uma recessão econômica nos Estados Unidos. Em relação à China, a queda do yuan teria intensificado a incerteza sobre a política cambial chinesa, pois teria aumentado a volatilidade do mercado financeiro, derrubando os preços das commodities, apontou Yellen.

http://www.jb.com.br/